Author: Ernesto Spinak

Colaborador do SciELO, engenheiro de Sistemas e licenciado en Biblioteconomia, com diploma de Estudos Avançados pela Universitat Oberta de Catalunya e Mestre em “Sociedad de la Información" pela Universidad Oberta de Catalunya, Barcelona – Espanha. Atualmente tem uma empresa de consultoria que atende a 14 instituições do governo e universidades do Uruguai com projetos de informação.

Google Acadêmico, Web of Science ou Scopus, qual nos dá melhor cobertura de indexação?

Uma análise recente da cobertura de indexação das bases de dados Google Acadêmico, Web of Science e Scopus mostra que valores mais altos nem sempre significam maior qualidade ou melhor indexação, uma vez que a inclusão de mais documentos de menor qualidade ou impacto pode refletir em outras facetas da análise e, dependendo do tipo de avaliação, deve ser necessário eliminar certos tipos de documentos da contagem de citações. Read More →

A especialidade dos Bibliotecários de Dados na Ciência Aberta

A especialidade profissional dos Bibliotecários de Dados (“data librarians”) deverá florescer rapidamente com o avanço da Ciência Aberta. Trata-se de uma inovação, uma necessidade e uma oportunidade para os países da Rede SciELO gerar novas áreas de trabalho para profissionais da informação científica, como parte do alinhamento da pesquisa com as práticas da ciência aberta. Read More →

Acelerando a comunicação científica via preprints

Existem mais de 60 servidores de preprints em todo o mundo. Parece ser uma tendência, porém o modelo ainda apresenta problemas e questões não resolvidas, tanto em termos de preservação digital quanto de financiamento e colaboração de suas soluções tecnológicas. Seria importante para as agências de financiamento descobrir como apoiar estas propostas. Read More →

O que é o Plano U: acesso universal à pesquisa científica via preprints?

O Plano U propõe que as agências de fomento requeiram que os beneficiários de auxílio à pesquisa publiquem comunicações científicas em servidores de preprints, independentemente das formas alternativas de publicação que os pesquisadores possam fazer subsequentemente. A iniciativa poderia ser realizada com uma fração dos custos atuais e produziria uma aceleração significativa no ritmo das descobertas nos próximos anos. Read More →

Periódicos que aumentaram o valor da APC receberam mais artigos

Uma das contribuições esperadas do Acesso Aberto (AA) foi resolver o aumento excessivo dos preços das assinaturas de periódicos científicos. Apesar disso, um dos principais modelos de negócio para a publicação de periódicos comerciais é cobrar dos autores uma taxa de publicação conhecida em inglês como Article Processing Charge (APC). Essa taxa, nos últimos cinco anos, vem subindo mais que a inflação. No entanto, contraintuitivamente, parece que os autores estão longe de reduzir suas submissões por causa do aumento nos valores de APC, estas submissões estão aumentando, e quanto mais cara a APC é, mais propostas os periódicos recebem. Read More →

De pareceristas estrela a pareceristas fantasmas – Parte II

Avaliações abertas e o surgimento de plataformas como Publons, que publicam estas atividades e as integram em outras tarefas acadêmicas, abrem a possibilidade do surgimento de um novo aspecto da bibliometria e, certamente, um novo e prestigioso mercado. Read More →

De pareceristas estrela a pareceristas fantasmas – Parte I

A avaliação por pares (peer review) é parte integrante da publicação científica e é realizada globalmente pela maioria dos pesquisadores de países desenvolvidos. Até que ponto pesquisadores de países emergentes participam e quais medidas de seu desempenho são relatadas no resultado da maior pesquisa sobre avaliação por pares realizada até o momento. Esta nota é a primeira de duas sobre o tema. Read More →

Inovações na Publicação Científica: o Futuro dos Periódicos e da Avaliação por Pares

No primeiro dia da Semana SciELO 20 Anos, durante o GT5 – Inovações na Publicação Científica e o Futuro dos Periódicos e da Avaliação por Pares, se discutiu durante todo o dia, perante uma audiência de mais de 50 pessoas e as apresentações de seis especialistas, as novas metodologias para a abertura do processo de publicação utilizando servidores de preprints. Texto disponível somente em espanhol. Read More →

Piratas da literatura médica – estudo bibliométrico mundial

Um grande volume de literatura médica está sendo baixado ilegalmente em quase todos os países do mundo. Existe uma relação significativa entre a produção científica desses países e a densidade de downloads ilegais, principalmente em países de renda média. Esta desigualdade no acesso legal à literatura médica requer a atenção da indústria editorial e dos formuladores de políticas públicas. Read More →

Administração dos dados de pesquisa no CNRS da França

O trabalho comentado apresenta os resultados de uma pesquisa nacional do CNRS (Centre National de la Recherche Scientifique) que foi respondida por 432 diretores de laboratórios públicos de pesquisa na França sobre as opiniões e o comportamento de cientistas experientes em relação à administração de dados de pesquisa (research data management, RDM). Read More →

O que pensam os pesquisadores espanhóis sobre Avaliação por Pares Aberta?

Em fevereiro de 2018, o Consejo Superior de Investigaciones Científicas da Espanha lançou uma pesquisa para conhecer os hábitos, preferências e opiniões de seus pesquisadores ao realizar avaliação e ser objeto de avaliação por pares em modo aberto, com o objetivo de contribuir para o debate internacional sobre a avaliação da ciência e possíveis formas de melhoria. Cinquenta e quatro por cento dos entrevistados estão satisfeitos com o sistema dominante de avaliação por pares e cinquenta por cento concordam com a abertura da identidade dos avaliadores, pois ajuda a reduzir conflitos de interesse. Read More →

A relevância dos livros na comunicação científica – o caso do SciELO Livros

Os manuscritos foram os primeiros repositórios de comunicação científica. Ao longo dos séculos e das novas tecnologias, a ciência foi comunicada por livros, por correspondências pessoais entre pesquisadores, periódicos e livros em papel até chegarmos às tecnologias eletrônicas e à Internet. Ao longo do século XX, os periódicos tornaram-se predominantes como meio de comunicação dos resultados da pesquisa, com rápida adaptação às funcionalidades oferecidas pelas mudanças tecnológicas. Na Reunião da Rede SciELO da Semana SciELO 20 Anos, um grupo de trabalho analisará e discutirá a relevância dos livros na comunicação científica, com foco no progresso das editoras de livros acadêmicos e, mais especificamente, no Programa SciELO Livros. Read More →

Revisão por pares – sobre as estruturas e os conteúdos

A revisão por pares é uma parte constitutiva da comunicação científica. Suas modalidades são variadas: simples cego, duplo cego, abertas e, agora também, as revisões parciais. A revisão parcial, que apenas valida a solidez técnica do documento, é uma característica dos mega-journals de acesso aberto como PLoS ONE e vários outros. Read More →

Sobre as vinte e duas definições de revisão por pares aberta… e mais

A Revisão por Pares Aberta é uma das pedras fundamentais da agenda da Ciência Aberta (Open Science), ao lado do Acesso Aberto, Dados Abertos e as Revisões Abertas (Open Access, Open Data and Open Peer Review). Entretanto, a proposta produz diferentes reações e atitudes entre editores, autores, pareceristas e publishers e isso se soma às iniciativas dos servidores de preprints. Read More →

Como será a avaliação por pares em 2030?

Apesar de a literatura científica sempre ter sido revisada antes de ser publicada, as formas atuais de revisão por pares têm somente poucas décadas de existência e já, desde o princípio, estiveram sujeitas a críticas e limitações. A revisão aberta e os servidores de preprints surgiram nos últimos anos como possíveis soluções em um mundo de comunicação crescente na pesquisa científica. Revisões abertas, inteligência artificial, revisões colaborativas e na “nuvem”… como será a avaliação por pares em 2030? Read More →