Category: Análises

Como a Estratégia de Retenção de Direitos afetará a publicação científica? [Publicado originalmente no LSE Impact Blog em setembro/2021]

A extensão até a qual os autores mantêm o controle sobre suas pesquisas publicadas depende dos direitos que eles transferem ao seu publisher antes da publicação. Como parte dos esforços para promover a publicação aberta imediata das pesquisas, vários financiadores de pesquisa endossaram a Estratégia de Retenção de Direitos (Rights Retention Strategy, RRS), por meio da qual os autores podem declarar que seu manuscrito aceito pelo autor é de acesso aberto. Neste post, Stephen Eglen explora a estratégia de retenção de direitos e discute o impacto potencial que pode ter na comunicação científica de forma mais abrangente. Read More →

Comentários sobre autoria de conveniência [Publicado originalmente no editorial do vol. 93 no. 3 nos Anais da Academia Brasileira de Ciências]

Uma das consequências desta pandemia é o aumento da submissão de artigos científicos, o que tem levantado preocupações quanto à sua qualidade. Junto com isso, vêm as questões de autoria, como a autoria de conveniência, que também deve aparecer no radar dos Editores, em função das potenciais consequências deletérias que podem afetar a nova geração de cientistas. Read More →

Preprints otimizam a comunicação da pesquisa [Publicado originalmente no editorial do vol. 20 no. 4 da Revista Habanera de Ciencias Médicas]

A modalidade dos preprints vem se afirmando como passo inicial de comunicação de pesquisas após 50 anos da sua concepção no NIH dos EUA e do início da operação do servidor arXiv. Trata-se de um enriquecimento do modelo clássico de comunicação científica no qual manuscritos inéditos são submetidos a periódicos para avaliação por pares. Os periódicos têm, entre outras, a função crítica de validação das pesquisas. Os preprints são disponibilizados antes dessa validação como meio de acelerar a comunicação dos resultados das pesquisas e aperfeiçoar os manuscritos antes do envio para sua validação para um periódico. O uso de preprints é identificado como uma das práticas de ciência aberta. Read More →

O Santo Graal não existe: workshops de OPERAS-P e OASPA para publishers sobre modelos inovadores de negócios para livros [Publicado originalmente no OAPEN Blog em julho/2021]

Em maio de 2021, OPERAS e OASPA patrocinaram uma series de três workshops europeus sobre modelos de negócios para livros de acesso aberto voltados especificamente para publishers de livros acadêmicos de pequeno e médio porte. Como parte do pacote de trabalho 6 do projeto OPERAS-P (Inovação), OPERAS buscava modelos de negócios inovadores não-BPC. Os comentários coletados no decorrer destas três oficinas subsidiaram o informe O Futuro da comunicação científica, publicado no final de junho de 2021. “A discussão mostrou que, embora o Santo Graal da publicação de livros AA não exista, o que existe, no entanto, é uma forte determinação de experimentar várias abordagens, liderada por publishers de livros acadêmicos de pequeno e médio porte.” Read More →

O papel dos artigos de revisão vai além de sintetizar o conhecimento atual sobre um tema de pesquisa

Artigos de revisão, ademais de contribuir para manter atualizados os pesquisadores em temas específicos, exercem um papel importante na curadoria dos trabalhos acadêmicos e podem influenciar, por meio de padrões de citação, temas emergentes de pesquisa. Read More →

O que são preprints? [Publicado originalmente no blog da DADOS em maio/2021]

O tradicional modelo de avaliação duplo-cega de artigos científicos vem sendo desafiado nas duas últimas décadas pelos chamados “servidores de preprints“. Porém, ainda existem muitas dúvidas nas Ciências Sociais sobre o que são os preprints e o que eles mudam nos tradicionais modos de avaliação e publicação científicas. Nesta mini-aula, objetivamos responder a essas questões a partir da experiência da revista DADOS. Read More →

Uma perspectiva sobre aspectos éticos e regulatórios sobre a pesquisa em seres humanos na pandemia de COVID-19

O último dia do ano de 2019 marcou o início oficial de uma grande mudança no planeta, que “… virou o mundo de cabeça para baixo. Tudo foi impactado…” No âmbito da produção científica na pandemia de COVID-19, a pesquisa envolvendo seres humanos ganhou um espaço destacado, com maior exposição de sua relevância e dos desafios éticos que se estabelecem na interface ciência e sociedade, que vem sendo profundamente impactada pela pandemia. Read More →

Conteúdo antecipado e a nova política do Fator de Impacto da Web of Science

Recentemente, o Journal Citation Reports incorporou os documentos de acesso antecipado (early reports) à indexação, por isso, os fatores de impacto estão sendo modificados. Esta nova metodologia de cálculo terá efeitos de reordenamento dos rankings de periódicos, com implicações importantes na sua avaliação acadêmica. Surgiram questionamentos e críticas. Read More →

Perspectivas sombrias para periódicos do Brasil [Publicado originalmente no editorial do vol. 93 no. 1 nos Anais da Academia Brasileira de Ciências]

A Covid-19 teve efeitos devastadores que vão além da economia e também afetou os periódicos publicados no Brasil. Um editorial dos Anais da Academia Brasileira de Ciência chamou atenção à questão de que nenhum periódico publicado no país irá receber apoio das agências de financiamento em 2021 e chama as partes interessadas para discutir soluções a fim de evitar o colapso do sistema de publicação que acontecerá caso nenhuma medida seja tomada. Read More →

Editores opinam sobre política editorial e aspectos da avaliação por pares

A avaliação por pares varia em grande extensão entre periódicos e disciplinas. Um estudo recentemente publicado na eLife teve por objetivo avaliar a postura de editores de periódicos de cinco disciplinas sobre seu modo de conduzir avaliação por pares. Os resultados sugerem que a avaliação por pares segue sendo uma prática fechada em boa parte, com alguns desafios do ponto de vista ético. Read More →

Rigor científico e ciência aberta: desafios éticos e metodológicos na pesquisa qualitativa

A literatura descreve críticas recorrentes à confiabilidade da pesquisa qualitativa, que incluem alegações de pouco rigor e clareza metodológica. No sistema de publicações, vêm sendo marcantes as ações que refletem essa maior atenção ao rigor. No âmbito do financiamento da pesquisa, também são notadas iniciativas de grandes agências, como a National Science Foundation (NSF) dos Estados Unidos, para promover estratégias para aumentar o rigor e a transparência no relato de resultados da pesquisa qualitativa. Oferecemos aqui um breve panorama, permeado por transformações que incluem iniciativas crescentes sobre a ciência aberta. Exploramos algumas questões suscitadas por essa discussão atual sobre rigor científico, não só em publicações, mas também na proposição de projetos de pesquisa qualitativa. Read More →

Em direção a uma Ciência do Solo mais aberta

A maior parte dos dados resultantes das pesquisas realizadas no Brasil ainda não está disponível em repositórios de acesso aberto. Aqui, conclamamos aos cientistas do solo a adotar uma postura mais aberta em relação aos dados de pesquisa na área, visando aumentar a sustentabilidade da ciência e fomentar a colaboração científica. Read More →

“O governo está seguindo a ciência”: Por que a tradução de evidência em políticas públicas está gerando tanta controvérsia? [Publicado originalmente no LSE Impact Blog em novembro/2020]

No Reino Unido, o governo se apresentou como sendo guiado por evidência científica em suas respostas para políticas públicas à COVID-19. Isso fez com que a ciência, em particular a epidemiologia, se tornasse ela própria politizada e contestada. No entanto, nem a politização da ciência nem as questões em torno do status da evidência são novas. Neste artigo, Luis Pérez-González, descreve como uma política de especialização semelhante desempenhou seu papel na formulação de políticas ambientais. O autor argumenta que para que a evidência científica seja comunicada com sucesso em políticas públicas, ela precisa ser informada por valores bipartidários. Read More →

Preprints são um problema? Cinco formas de melhorar a qualidade e credibilidade dos preprints [Publicado originalmente no LSE Impact Blog em setembro/2020]

Preprints são relatos de pesquisa que ainda não foram avaliadores pelos pares e aceitos para publicação. Eles aumentaram rapidamente durante a pandemia de COVID-19. No entanto, estudos notórios desacreditados levaram a preocupações de que a velocidade foi priorizada em relação à qualidade e credibilidade das evidências. Joeri Tijdink, Mario Malicki, Lex Bouter e Gowri Gopalakrishna argumentam que todas as partes interessadas do sistema científico têm a responsabilidade de melhorar a qualidade e a credibilidade dos preprints. Eles descrevem cinco etapas através das quais isso pode ser alcançado. Read More →

O quão efetivos são os mandatos de financiadores para o acesso aberto?

O Plano S, lançado na Europa em final de 2018 para acelerar a transição para o acesso aberto a partir de janeiro de 2020, impõe mandatos de acesso aberto para toda pesquisa financiada com recursos públicos. Mas seriam realmente efetivos em promover o acesso aberto tais mandatos? Um estudo mostrou que os resultados foram muito variáveis segundo as disciplinas e os financiadores. No entanto, entre a via dourada e a via verde, dois terços dos artigos estão, de fato, disponíveis para leitura. Read More →