Category: Análises

Rigor científico e ciência aberta: desafios éticos e metodológicos na pesquisa qualitativa

A literatura descreve críticas recorrentes à confiabilidade da pesquisa qualitativa, que incluem alegações de pouco rigor e clareza metodológica. No sistema de publicações, vêm sendo marcantes as ações que refletem essa maior atenção ao rigor. No âmbito do financiamento da pesquisa, também são notadas iniciativas de grandes agências, como a National Science Foundation (NSF) dos Estados Unidos, para promover estratégias para aumentar o rigor e a transparência no relato de resultados da pesquisa qualitativa. Oferecemos aqui um breve panorama, permeado por transformações que incluem iniciativas crescentes sobre a ciência aberta. Exploramos algumas questões suscitadas por essa discussão atual sobre rigor científico, não só em publicações, mas também na proposição de projetos de pesquisa qualitativa. Read More →

Em direção a uma Ciência do Solo mais aberta

A maior parte dos dados resultantes das pesquisas realizadas no Brasil ainda não está disponível em repositórios de acesso aberto. Aqui, conclamamos aos cientistas do solo a adotar uma postura mais aberta em relação aos dados de pesquisa na área, visando aumentar a sustentabilidade da ciência e fomentar a colaboração científica. Read More →

“O governo está seguindo a ciência”: Por que a tradução de evidência em políticas públicas está gerando tanta controvérsia? [Publicado originalmente no LSE Impact Blog em novembro/2020]

No Reino Unido, o governo se apresentou como sendo guiado por evidência científica em suas respostas para políticas públicas à COVID-19. Isso fez com que a ciência, em particular a epidemiologia, se tornasse ela própria politizada e contestada. No entanto, nem a politização da ciência nem as questões em torno do status da evidência são novas. Neste artigo, Luis Pérez-González, descreve como uma política de especialização semelhante desempenhou seu papel na formulação de políticas ambientais. O autor argumenta que para que a evidência científica seja comunicada com sucesso em políticas públicas, ela precisa ser informada por valores bipartidários. Read More →

Preprints são um problema? Cinco formas de melhorar a qualidade e credibilidade dos preprints [Publicado originalmente no LSE Impact Blog em setembro/2020]

Preprints são relatos de pesquisa que ainda não foram avaliadores pelos pares e aceitos para publicação. Eles aumentaram rapidamente durante a pandemia de COVID-19. No entanto, estudos notórios desacreditados levaram a preocupações de que a velocidade foi priorizada em relação à qualidade e credibilidade das evidências. Joeri Tijdink, Mario Malicki, Lex Bouter e Gowri Gopalakrishna argumentam que todas as partes interessadas do sistema científico têm a responsabilidade de melhorar a qualidade e a credibilidade dos preprints. Eles descrevem cinco etapas através das quais isso pode ser alcançado. Read More →

O quão efetivos são os mandatos de financiadores para o acesso aberto?

O Plano S, lançado na Europa em final de 2018 para acelerar a transição para o acesso aberto a partir de janeiro de 2020, impõe mandatos de acesso aberto para toda pesquisa financiada com recursos públicos. Mas seriam realmente efetivos em promover o acesso aberto tais mandatos? Um estudo mostrou que os resultados foram muito variáveis segundo as disciplinas e os financiadores. No entanto, entre a via dourada e a via verde, dois terços dos artigos estão, de fato, disponíveis para leitura. Read More →

As leis de proteção de dados se aplicam a qualquer pessoa que coleta informação sobre uma pessoa viva. Então, o que os pesquisadores em artes, humanidades e ciências sociais precisam saber? [Publicado originalmente no LSE Impact Blog em setembro/2020]

A GDPR tem implicações significativas para pesquisadores acadêmicos. A Royal Historical Society publicou recentemente um conjunto de diretrizes para ajudar os pesquisadores a navegar pelos requisitos legais em torno da proteção de dados. A Dra. Katherine Foxhall, Diretora de Pesquisa e Comunicação da Royal Historical Society, explica alguns dos principais fatores que os pesquisadores em temas de SHAPE devem estar cientes. Read More →

Bibliometria: a nova ameaça para taxonomia zoológica?

Um dos fundamentos das ciências da vida, a taxonomia – a ciência da biodiversidade – sofre de múltiplos impedimentos, inclusive o uso de índices bibliométricos por organizações. Hoje em dia, estes índices desempenham um papel chave nas decisões científicas. No entanto, o que as empresas com fins lucrativos, proprietárias destas plataformas bibliométricas, têm a ver com ciência? Read More →

O caminho para os ensaios de reprodutibilidade passa pelos Relatos Registrados

A necessidade de reproduzir resultados de pesquisa em nome da transparência e credibilidade da ciência passa por inúmeros desafios. Um artigo publicado pela Nature indica que, para obter melhores resultados dos ensaios de reprodutibilidade, é importante estabelecer protocolos de comum acordo com os autores do estudo original e alinhar expectativas. Os Relatos Registrados, submetidos à avaliação por pares antes da etapa experimental do estudo, se apresentam como uma solução promissora para ensaios de reprodutibilidade bem sucedidos. Read More →

JCR, Kafka e MAI!

Pela segunda vez, os Anais da Academia Brasileira de Ciências foram surpreendidos ao descobrir que cerca de um quarto dos artigos de um número desapareceram da plataforma Jornal Citation Reports, um problema que deveria receber a atenção da indústria da publicação e avaliação. Algumas formas objetivas de avaliar a performance de volumes ou áreas específicas em um periódico são apresentadas. Read More →

Aviso aos navegantes – os tempos estão mudando

Acesso aberto… e tudo mais. Finalmente, o que aconteceu há 20 anos parecia uma utopia de piratas de direitos autorais, está se tornando irreversível, como um tsunami. Publishers e informação científica não podem ignorar o tema do acesso aberto, para que possam competir e não fiquem fora desse mercado. As coisas estão mudando e não há volta. Read More →

Bibliodiversidade – O que é e por que é essencial para criar conhecimento situado [Publicado originalmente no LSE Impact Blog em dezembro/2019]

Comunidades acadêmicas vibrantes são sustentadas por publicações que permitem aos pesquisadores se dirigir a diversos públicos. Apesar de que muitas vezes a atenção está voltada para a publicação internacional, grande parte deste trabalho é apoiado por publicações que se dirigem ao público nacional e regional em seus próprios idiomas. Neste post, Elea Giménez Toledo, Emanuel Kulczycki, Janne Pölönen e Gunnar Sivertsen explicam a importância da bibliodiversidade para sustentar os ecossistemas do conhecimento e argumentam que a bibliodiversidade é essencial para garantir que a transição ao livro aberto no futuro continue a apoiar a criação de conhecimento situado. Read More →

A reutilização de dados qualitativos é um campo subestimado da inovação e da criação de novos conhecimentos nas ciências sociais [Publicado originalmente no LSE Impact Blog em junho/2020]

O valor e o potencial da reutilização de dados e a metodologia associada de análise secundária qualitativa (qualitative secondary analysis, QSA) são frequentemente desconsiderados. A Dra. Anna Tarrant e a Dra. Kahryn Hughes propõem que, como a COVID-19 limita as oportunidades de pesquisa qualitativa em um futuro próximo, agora, mais do que nunca, as ciências sociais precisam considerar a subutilização dos dados qualitativos existentes. Read More →

SciELO Livros e o acesso aberto em tempos epidêmicos: Mais importante que nunca

A pandemia do COVID-19 vem explicitando o papel decisivo do acesso aberto (AA) ao conhecimento e às evidências científicas. Globalmente há uma abertura temporária de coleções de livros e periódicos comercializados para apoiar a superação da pandemia. SciELO Livros indexa, publica e dissemina uma coleção de mais de 700 livros em AA de modo permanente contribuindo no apoio às políticas públicas e profissionais, na expansão da universidade, valorização do livro acadêmico e das disciplinas que fazem uso intensivo do livro. Read More →

Por que a reforma da comunicação científica parece tão difícil e lenta?

O mundo enfrenta problemas globais para os quais a ciência é necessária como parte da solução. No entanto, o sistema de comunicação científica não é remotamente tão rápido e aberto quanto necessário para uma colaboração mundial eficiente. Os poderes que estão em posição de reformar o sistema são muito tímidos. Crises como a COVID-19 poderão despertá-los? Read More →

O surto de coronavírus (COVID-19) ressalta sérias deficiências na comunicação científica [Publicado originalmente no LSE Impact Blog em março/2020]

À medida que as respostas da pesquisa e do governo ao surto de COVID-19 aumentam diante de uma crise global de saúde pública, Vincent Larivière, Fei Shu e Cassidy R. Sugimoto refletem sobre os esforços para tornar a pesquisa sobre este assunto mais amplamente disponível. Argumentando que um foco restrito em pesquisas publicadas em periódicos de alto nível, predominantemente em inglês, impediu os esforços de pesquisa, eles sugerem que a ênfase renovada na realização de pesquisas abertas sobre o vírus apresenta uma oportunidade de reavaliar como os sistemas de pesquisa e comunicação científica servem ao bem público. Read More →