Category: Análises

Em direção ao acesso aberto universal? Por que precisamos de bibliodiversidade em vez de uma “bala de prata”

O atual debate sobre o acesso aberto é muitas vezes baseado em generalizações indevidas que defendem modelos “bala de prata” para inverter globalmente o sistema de comunicação científica. Esta abordagem é falha, pois não leva em conta a diversidade de práticas de comunicação entre as diferentes disciplinas e países. Read More →

Resenha do livro Bit by Bit: Social Research in the Digital Age por Matthew J. Salganik [Publicado originalmente no blog LSE Impact of Social Sciences em Julho/2018]

Em Bit by Bit: Social Research in the Digital Age (Bit por Bit: Pesquisa Social na Era Digital), Matthew J. Salganik explora o processo de realizar pesquisa social na era digital, examinando uma ampla gama de conceitos, ao mesmo tempo em que oferece atividades e materiais de ensino. Ao reunir a expertise de cientistas sociais e de dados para o benefício de ambos, trata-se uma visão abrangente sobre novas abordagens para a pesquisa social em nosso tempo, recomenda Marziyeh Ebrahimi. Read More →

A relevância dos livros na comunicação científica – o caso do SciELO Livros

Os manuscritos foram os primeiros repositórios de comunicação científica. Ao longo dos séculos e das novas tecnologias, a ciência foi comunicada por livros, por correspondências pessoais entre pesquisadores, periódicos e livros em papel até chegarmos às tecnologias eletrônicas e à Internet. Ao longo do século XX, os periódicos tornaram-se predominantes como meio de comunicação dos resultados da pesquisa, com rápida adaptação às funcionalidades oferecidas pelas mudanças tecnológicas. Na Reunião da Rede SciELO da Semana SciELO 20 Anos, um grupo de trabalho analisará e discutirá a relevância dos livros na comunicação científica, com foco no progresso das editoras de livros acadêmicos e, mais especificamente, no Programa SciELO Livros. Read More →

Presença e impacto dos periódicos na web social: Rumo ao fator de impacto de mídias sociais

A prática rotineira de avaliação do fator de impacto dos periódicos para determinar onde submeter um manuscrito tem sido reconsiderada em detrimento do impacto social do periódico na relação que o periódico estabelece com a comunidade científica e com o público. Métricas de mídias sociais atuam nesse sentido na aferição do social media impact fator de um periódico e podem auxiliar na gestão da presença web em perfis online que os periódicos mantêm em mídias como Twitter e Facebook. Read More →

Interface ciência-público em tempos de correção da literatura científica: Questões éticas contemporâneas

O processo de correção da literatura científica torna-se cada vez mais acelerado e reflete, dentre vários fatores, um maior escrutínio das editoras científicas. Diferente do que acontecia há cerca de duas décadas, quando a retratação de um artigo era rara, hoje ela vem se integrando à cultura editorial. Nesse contexto, a forma com que esse processo de correção se articula com o fluxo de notícias sobre ciência merece atenção. Na interface ciência-público, as retratações ampliam os espaços para fortalecer a compreensão pública sobre a ciência e seus mecanismos de autorregulação. Como ampliar esse espaço é uma das discussões éticas do nosso tempo. Read More →

O que significa uma nova abordagem (para periódicos, conselhos de pesquisa)?

Preprints são um desenvolvimento em andamento na comunicação e publicação científica. Para os periódicos, isso tem consequências. Eles podem adotar um papel passivo, uma postura oposta, ou um papel encorajador e estimulante, e vê-lo como uma oportunidade, colocando seu periódico no centro do desenvolvimento dos preprints. Estas são questões a serem discutidas em detalhes na Conferência SciELO 20 Anos em setembro de 2018. Read More →

As razões porque o Crossref existe e persiste

No mundo atual, o trabalho de um autor precisa de um Digital Object Identifier (DOI, Identificador de Objeto Digital) para se tornar localizável, citável e vinculável. Esta sequência alfanumérica única identifica o conteúdo de um trabalho de pesquisa e permanece associada a ele, independentemente de alterações em sua localização na web. Descubra aqui as origens do DOI, como o Crossref foi fundado, e por que eles continuam a existir e persistir. Read More →

Geo for All – Princípios Abertos em GeoEducação e Ciência

A essência da missão Geo for All é a crença de que o conhecimento é um bem público e os Princípios Abertos na Educação proporcionarão grandes oportunidades para todos. Os principais ingredientes que tornam a Ciência Geoespacial Aberta possível estão legitimados nos Princípios Abertos, ou seja: software geoespacial de código aberto, dados abertos, padrões abertos, recursos educacionais abertos e acesso aberto à publicações de pesquisa. Read More →

Quanto tempo leva para fazer ciência? A emergência do tempo na comunicação científica

A comunicação científica tem sofrido grandes transformações nas últimas duas décadas, sobretudo em função da popularização de novas tecnologias de informação, que impõem um novo regime de tempo e de velocidade na editoração científica. Porém, estas mudanças não são apenas respostas aos avanços tecnológicos. Trata-se de questões mais complexas relacionadas à reconfiguração do trabalho acadêmico e mudanças sobre o paradigma da comunicação e as dificuldades e desafios enfrentados pelos editores e pesquisadores sobre a gestão do tempo. Read More →

Gestão de Dados Científicos – da coleta à preservação

A gestão adequada dos dados usados em pesquisas científicas tornou-se parte obrigatória das boas práticas de pesquisa. A era da Ciência Aberta vem revolucionando a metodologia científica, motivando o surgimento de novas linhas de pesquisa em todas as áreas do conhecimento. O post descreve alguns desafios desta gestão do ponto de vista computacional. Read More →

Revisão por pares – sobre as estruturas e os conteúdos

A revisão por pares é uma parte constitutiva da comunicação científica. Suas modalidades são variadas: simples cego, duplo cego, abertas e, agora também, as revisões parciais. A revisão parcial, que apenas valida a solidez técnica do documento, é uma característica dos mega-journals de acesso aberto como PLoS ONE e vários outros. Read More →

Comunicação e avaliação por pares devem ser universalmente separados

A Semana SciELO 20 Anos realizará um amplo e aberto fórum de discussão sobre o futuro da comunicação científica e dos periódicos. Para tanto, há um grupo de discussão para cada um dos 12 temas da Conferência SciELO 20 Anos. A discussão começa com este comentário do Jan Velterop sobre a separação entre comunicação e peer review postado no grupo de discussão do Painel 3.1 que trata da comunicação rápida via preprints e outras formas de acelerar a disponibilização de resultados de pesquisas. Read More →

A Fiocruz frente ao desafio da Ciência Aberta em prol do Desenvolvimento e da Saúde Pública

A grande mobilização dos países em torno da Ciência Aberta se expressa no desenvolvimento de infraestruturas, Planos de Gestão de Dados, capacitação e métricas de avaliação e recompensa. Enquanto novo paradigma, a Ciência Aberta deve focar nos interesses e benefícios para a sociedade, além dos avanços no conhecimento. No campo da saúde, a abertura de dados de pesquisa pode promover uma ciência mais ágil na solução de problemas, na formulação de políticas públicas baseadas em evidências e na participação do cidadão como produtor de conhecimento. Read More →

Perspectivas da avaliação por pares aberta: Instigante ponto de interrogação

Pesquisa analisa a viabilidade da adoção da avaliação por pares aberta por periódicos da ciência da informação. Este post apresenta a primeira etapa já concluída com foco nos editores. A segunda etapa já em andamento tem como foco avaliadores, com o fim de alcançar visão abrangente sobre a adoção da avaliação por pares aberta pelos periódicos da ciência da informação. Read More →

Discutindo indicadores em financiamento à pesquisa: Qual o papel das altmetrias? [Publicado originalmente no blog Europe of Knowledge em Dezembro/2017]

Em qualquer extensão, altmetrias, ou métricas alternativas, estão ganhando força no ensino superior. Este post é baseado em minha dissertação de mestrado, que explora o uso de altmetria com foco em financiamento à pesquisa. As altmetrias rastreiam e contam as menções de citações acadêmicas em mídias sociais, sites de notícias, documentos de política e sites de bookmarking social. Em seguida, os provedores de dados altmétricos agregam o número de menções. Isso permite uma observação de quantas vezes a pesquisa foi visualizada, discutida, seguida, compartilhada e baixada. Read More →