Ética editorial – outros tipos de plágio… e contando

Por Ernesto Spinak

Introdução

Nos últimos três anos temos comentado no SciELO em Perspectiva sobre vários tipos diferentes de plágio e processos editoriais fraudulentos. Para mencionar os mais frequentes, temos o plágio propriamente dito, o ghostwriting, o autoplágio, a produção automática de artigos, etc. (Para obter a lista de notas publicadas neste blog sob o tema “plágio”, pesquise na caixa de busca da homepage usando a expressão: plágio editorial, e obterá ao menos uma dúzia de posts).

Esta bibliografia, entretanto, não esgota o repertorio, porque recentemente têm aparecido outros dois tipos – menos frequentes – para serem agregados à nossa lista, a saber o “plágio acidental” e o “plágio pelos pareceristas (peer reviewer)”. Ambos os casos foram publicados recentemente no blog sobre plágio da ferramenta iThenticate.com, que passamos a comentar.

O plágio acidental ou por negligência

Existem pessoas no âmbito acadêmico que cometem plágio e, ao chamar-lhes a atenção, eles argumentam não ter sido por malicia, senão por descuido. Porém, seu descuido está na linha obscura entre o acidental e a negligência. Por exemplo, um autor parafraseia uma fonte, ou menciona um fato que não é do conhecimento comum do público e omite a citação ou as aspas para marcar o texto referido. Pode ser possível que o autor não tivesse a intenção de plagiar, porém mostra pouca consideração com as normas de citação e os trabalhos de outras pessoas.

Os autores que têm a intenção de evitar o plágio deveriam copiar partes de trabalhos alheios com mais cuidado, pois se alguém acaba finalmente incluindo citações de outras pessoas “acidentalmente” ou por desleixo, não é uma questão de má sorte, isso é definitivamente negligência.

Do ponto de vista dos fatos, não há grande diferença entre o plágio acidental para poupar um pouco de trabalho e o plágio intencional. É um tema de integridade acadêmica. Plágio é roubar ideias e trabalho de outros. O fato de dizer – como o personagem da TV Bart Simpson “não fui eu” não torna menos sério o problema, é uma desculpa tão antiga quanto o mundo.

Citar de forma não apropriada não é um fato acidental, pelo qual a negligência deveria ser considerada da mesma forma que a malicia no que concerne o plágio.

Quando os árbitros cometem plágio

Recentemente, em dezembro de 2016, foi publicado no site Retraction Watch uma nota1 de um pesquisador do Tufts Medical Center de Boston, relatando que havia enviado um artigo ao periódico Annals of Internal Medicine, que foi reprovado para publicação. Para sua surpresa, tempos depois, descobriu que este mesmo artigo havia sido publicado neste periódico, porém com outros autores, e um dos pareceristas que havia recusado seu artigo figurava como autor. Ademais, o texto apresentava dados fabricados, pois os mesmos números foram atribuídos a pacientes em outro país, onde se replicaram as tabelas, gráficos, etc.

Como corresponde, o artículo foi retratado2 pelo periódico e motivou, ademais, um editorial3 sobre o tema.

Supõe-se que os pareceristas deveriam ser os guardiões da excelência e impedir a má conduta científica. Estas condutas, por sorte pouco frequentes, erodem a confiança do público e minam o processo pelo que se conduz a pesquisa e a verificação das comunicações.

Minha opinião

Do ponto de vista real não há muita diferença entre a negligência e a intencionalidade. Supõe-se que os que escrevem nos periódicos acadêmicos são profissionais, pessoas com anos de treinamento, que deveriam ser responsáveis pelo que escrevem e apresentam. A negligência apenas torna mais severo o julgamento da falta de integridade. E se quem comete uma falta na forma de plágio é ademais um parecerista, o que faz é multiplicar a condenação moral.

Por estas razões, como dissemos repetidamente ao longo dos anos, é imprescindível que os periódicos acadêmicos incorporem ao processo editorial sistemas automatizados de controle de plágio e duplicidade.

Por outro lado, deveríamos dar a oportunidade às iniciativas de Revisão Aberta (Open Review), pois seria um avanço importante para fortalecer a confiança do público na empresa científica e seus canais de comunicação.

Notas

1. MCCOOK, A. Dear peer reviewer, you stole my paper: An author’s worst nightmare [online]. Retraction Watch, 2016 [viewed 22 March 2017]. Available from: http://retractionwatch.com/2016/12/12/dear-peer-reviewer-stole-paper-authors-worst-nightmare/

2. FINELLI, C., et al. Retraction: The improvement of large High-Density Lipoprotein (HDL) particle levels, and presumably HDL metabolism, depend on effects of low-carbohydrate diet and weight loss. EXCLI Journal. [online]. 2016, vol. 15, pp. 570 [viewed 22 March 2017]. DOI: 10.17179/excli2016-570. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5138495/

3. LAINE, C. Scientific Misconduct Hurts. Ann Intern Med. [online]. 2017, vol. 166, pp. 148-149 [viewed 22 March 2017]. DOI: 10.7326/M16-2550. Available from: http://annals.org/aim/article/2592772/scientific-misconduct-hurts

Referências

BAILEY, J. Debunking the Accidental Plagiarism Excuse [online]. Plagiarism Today, 2016 [viewed 22 March 2017]. Available from: http://www.plagiarismtoday.com/2016/08/03/debunking-the-accidental-plagiarism-excuse/

BAILEY, J. The Boundaries of Accidental Plagiarism [online]. iThenticate, 2017 [viewed 22 March 2017]. Available from: http://www.ithenticate.com/plagiarism-detection-blog/boundaries-of-accidental-plagiarism?utm_campaign=blog-alerts&utm_source=hs_email&utm_medium=email&utm_content=43099351&_hsenc=p2ANqtz-_LBATPK4fnfA_MWyOQhLEJy0dp1IEGhpZ-2WGMMjcFWmHnwFJmxNxtEQxTatK3c22jeSqPXUr6ivLBFTVSpAVxk0wsFA&_hsmi=43099351#.WNGfFmcm42x

FINELLI, C., et al. Retraction: The improvement of large High-Density Lipoprotein (HDL) particle levels, and presumably HDL metabolism, depend on effects of low-carbohydrate diet and weight loss. EXCLI Journal. [online]. 2016, vol. 15, pp. 570 [viewed 22 March 2017]. DOI: 10.17179/excli2016-570. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5138495/

LAINE, C. Scientific Misconduct Hurts. Ann Intern Med. [online]. 2017, vol. 166, pp. 148-149 [viewed 22 March 2017]. DOI: 10.7326/M16-2550. Available from: http://annals.org/aim/article/2592772/scientific-misconduct-hurts

MCCOOK, A. Dear peer reviewer, you stole my paper: An author’s worst nightmare [online]. Retraction Watch, 2016 [viewed 22 March 2017]. Available from: http://retractionwatch.com/2016/12/12/dear-peer-reviewer-stole-paper-authors-worst-nightmare/

Link externo

Blog iThenticate: Plagiarism – <http://www.ithenticate.com/plagiarism-detection-blog>

 

spinakSobre Ernesto Spinak

Colaborador do SciELO, engenheiro de Sistemas e licenciado em Biblioteconomia, com diploma de Estudos Avançados pela Universitat Oberta de Catalunya e Mestre em “Sociedad de la Información” pela Universidad Oberta de Catalunya, Barcelona – Espanha. Atualmente tem uma empresa de consultoria que atende a 14 instituições do governo e universidades do Uruguai com projetos de informação.

 

Traduzido do original em espanhol por Lilian Nassi-Calò.

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

SPINAK, E. Ética editorial – outros tipos de plágio… e contando [online]. SciELO em Perspectiva, 2017 [viewed ]. Available from: http://blog.scielo.org/blog/2017/07/20/etica-editorial-outros-tipos-de-plagio-e-contando/

 

7 Thoughts on “Ética editorial – outros tipos de plágio… e contando

  1. Pingback: “plágio acidental” e o “plágio pelos pareceristas (peer reviewer)” | Serviço de Documentação e Divulgação

  2. Pingback: Boletim de Notícias, 21/jul: Serrapilheira lança sua primeira chamada para projetos | Direto da Ciência

  3. Suzana on August 30, 2017 at 15:31 said:

    Prezado autor,

    Gostaria de saber como tem tantos artigos citados na seção de referências se no seu texto não tem nenhuma citação a estas? Isto também é uma forma perigosa de escrever um artigo, afinal, entendo que referências precisam estar citadas no texto, ou me engano?
    Att
    Suzana

    • SciELO on August 30, 2017 at 15:43 said:

      Olá Suzana! Essa á uma politica editorial do blog SciELO em Perspectiva. Como este não trata-se de um artigo científico propriamente dito e sim um texto adequado a realidade de postagens de blogs, todas as referências estão registradas nas referências bibliográficas e notas abaixo do texto. Mas se houver algum tipo de informação específica do post que deseje saber mais a respeito, podemos informá-la sem problemas.

  4. Gabrielle on October 5, 2017 at 06:25 said:

    Bom dia
    Minha professora quer que façamos o tcc copiando e colando trechos de textos de vários autores, (citando a fonte lógico). Ela não explicou sobre citação direta, mas mesmo sendo direta entre apas e citando o n da pg… Não podemos parafrasear em momento algum. Isso é considerado plágio?

  5. Ernesto Spinak on October 6, 2017 at 09:21 said:

    se você fornecer a referência ao trabalho original: autor, título, publicação, ano, páginas, etc., então não é plágio

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation