Author: Lilian Nassi-calò

Um olhar sobre a avaliação por pares de propostas de auxílio à pesquisa

A plataforma Publons de registro da atividade acadêmica de avaliação por pares lançou o Grant Review in Focus (Avaliação de Auxílio à Pesquisa em Foco) sobre a avaliação e identificação de projetos para receber financiamento. Foram entrevistados 4.700 pesquisadores além de dados extraídos do Web of Science. Read More →

Promovendo e acelerando o compartilhamento de dados de pesquisa

O informe The State of Open Data 2018 entrevistou pesquisadores de todos os continentes sobre as motivações, hábitos, conhecimento e práticas de compartilhamento de dados. Os resultados, comparados aos informes de 2016 e 2017, trazem informação relevante sobre a evolução dos dados abertos de pesquisa em todo o mundo além de como fortalecer esta prática na academia, para que atinja os resultados esperados. Read More →

Potenciais vantagens e desvantagens na publicação de pareceres

A publicação dos pareceres da avaliação por pares dos manuscritos é uma tendência crescente na comunicação científica, a favor da transparência e uma prática associada à ciência aberta. Existem, entretanto, vantagens e desvantagens que devem ser consideradas pelos editores dos periódicos ao adotar esta modalidade de avaliação. Read More →

Avaliação por pares aberta: a publicação dos pareceres influencia o comportamento dos pareceristas?

Um estudo piloto foi realizado com cinco periódicos do publisher Elsevier em diferentes áreas do conhecimento sobre os efeitos de se publicar as avaliações de 9.220 artigos submetidos entre 2010 e 2017. As principais conclusões do estudo sugerem que a publicação dos pareceres não influencia ou compromete o trabalho de revisão por pares. Os autores não puderam detectar nenhum efeito significativo na disponibilidade para realizar a avaliação, no conteúdo e teor das recomendações, ou tempo para avaliar. No entanto, apenas 8,1% dos pareceristas concordaram em divulgar sua identidade como autor dos pareceres. Read More →

eLife testa uma abordagem inovadora de avaliação por pares

O periódico eLife realiza um experimento inovador aceitando todos os artigos que enviar para avaliação por pares após triagem inicial. Para testar a viabilidade de uma forma ainda mais participativa de revisão por pares, os autores poderão controlar a decisão sobre publicar (ou não) seus artigos e de que forma irão responder aos comentários dos pareceristas. Ao romper com os paradigmas da relação autor-editor-parecerista, o eLife pretende promover um diálogo construtivo entre as partes e reduzir a carga do prestígio do periódico na avaliação da ciência. Read More →

Critérios de autoria preservam a integridade na comunicação científica

A crescente demanda por transparência e abertura na pesquisa e sua comunicação tem por objetivo aumentar a confiabilidade e reprodutibilidade dos resultados publicados. A atribuição de autoria, por sua relevância nos processos acadêmicos de avaliação e recompensa, exige comprometimento, transparência e regras claramente definidas. Um grupo de estudiosos composto por acadêmicos, instituições de pesquisa, agências de fomento, publishers e sociedades científicas desenvolveu uma taxonomia com 14 categorias para classificar a contribuição de autores. Vincular as categorias desta taxonomia ao identificador persistente de autor (ORCID) e aos metadados do artigo permite rastrear a contribuição dos autores através de suas publicações e de sua carreira. Read More →

Blogs como forma de comunicação científica na era das redes sociais

Blogs são um excelente canal de disseminação da ciência para uma audiência mais ampla. Os blogs requerem tempo, empenho e dedicação, porém os esforços são amplamente recompensados. Associados às redes sociais permitem aos pesquisadores construir redes de contatos, atrair jovens colaboradores e estudantes e aumentar o prestígio junto às suas instituições. Read More →

Radiografia da publicação acadêmica em acesso aberto e seus indicadores bibliométricos

Como a publicação em acesso aberto evolui através do tempo? É verdade que artigos em acesso aberto são mais citados? O acesso aberto aumenta devido à mandatos institucionais ou de governos ou por iniciativa dos próprios autores? Para responder a estas e outras questões, a National Science Foundation dos Estados Unidos encomendou à Science-Metrix um detalhado estudo sobre a publicação acadêmica em acesso aberto, considerando a via dourada e a via verde, a influência das disciplinas e o comportamento nos países líderes em pesquisa ao longo da última década. Conheça aqui os resultados. Read More →

A (pré) história dos preprints em ciências biológicas

Alguns termos usados com certa familiaridade no presente nos dão a falsa impressão de terem sido cunhados à luz da recente tecnologia e estar indissociavelmente ligados à Internet. Repositório de preprints é um tal exemplo. Parece impossível conceber uma forma de armazenar versões preliminares de artigos científicos em um espaço que não seja virtual, que dirá compartilhá-las com o maior número possível de interessados de outra forma que não eletronicamente. Pois foi exatamente isso que ocorreu no improvável ano de 1961, quando os NIH iniciaram a circulação de preprints impressos na área de biologia a uma lista de participantes, em um experimento denominado Information Exchange Groups. Read More →

Avaliação por pares: recomendações dos periódicos aos pareceristas

A despeito de estar passando por transformações para torná-la mais sustentável, rápida e eficiente, a avaliação por pares é o processo que contribui para aumentar a qualidade e confiabilidade da comunicação científica. Poucos periódicos, entretanto, disponibilizam aos seus pareceristas instruções detalhadas sobre como realizar esta avaliação seguindo sua política editorial, o que diminui a eficácia e a eficiência do processo. Read More →

O papel dos editores na avaliação por pares: como identificar maus pareceristas

Um modelo teórico de avaliação por pares avalia os efeitos que pareceristas de conduta antiética tem na aprovação e rejeição de artigos e como os editores de periódicos podem mitigar este comportamento. O que está em jogo é a confiabilidade, transparência e eficiência da avaliação por pares pré-publicação. Read More →

A miopia dos indicadores bibliométricos

A utilização de indicadores bibliométricos para avaliação da ciência é uma prática ubíqua, a despeito de não existir uma relação inequívoca entre citações e qualidade, impacto ou mérito científico. Um recente estudo estabelece que o uso indiscriminado destes indicadores pode dificultar a publicação de resultados inovadores de pesquisa, retardando o desenvolvimento da ciência. Read More →

Propostas de financiamento a pesquisa enviadas ao NIH podem citar preprints

O uso de preprints como meio de acelerar a comunicação das pesquisas vem se tornando uma prática frequente em muitas áreas do conhecimento, também como forma de aperfeiçoar o processo de avaliação por pares. Os National Institutes of Health, renomada instituição norte-americana de pesquisa e agência de fomento anunciou recentemente que propostas de financiamento e relatórios estão autorizados a citar preprints “para acelerar a disseminação e aumentar o rigor de seu trabalho”. Read More →

Persistem as disparidades de gênero na ciência a despeito dos significativos avanços

A participação de mulheres como autores em publicações acadêmicas vem aumentando significativamente em todo o mundo e em todas as áreas do conhecimento, chegando a 49% no Brasil e Portugal, seguido da Austrália (44%) e União Europeia (41%). A equidade de gênero na ciência, entretanto, ainda tem um longo caminho a percorrer, especialmente nas funções de editoração e avaliação por pares. Um estudo realizado com mais de 41 mil artigos entre 2007 e 2015 mostra que editores do gênero masculino – que são maioria – selecionam preferencialmente pareceristas do mesmo gênero. Read More →

Internacionalização como indicador de desempenho de periódicos do Brasil: o caso da psicologia

O caminho para o fortalecimento das publicações científicas passa quase sempre por sua internacionalização. Publicar em inglês, entretanto, não é suficiente para atingir uma audiência realmente global e índices comparáveis aos periódicos de maior prestígio. Um estudo sobre o grau de internacionalização de periódicos de psicologia do Brasil mostra como se pode trilhar este caminho. Read More →