PLOS reporta sobre publicação do Histórico da Avaliação por Pares Aberta

Por Lilian Nassi-Calò

O publisher de acesso aberto PLOS1, que conta hoje com 12 periódicos, nasce de uma proposta de defensores do Movimento de Acesso Aberto Harold Varmus, Patrick Brown e Michael Eisen, em 2001. PLOS ONE é lançado em 2006 como o primeiro periódico multidisciplinar que adota avaliação por pares com foco em metodologia rigorosa e pesquisa ética, desvinculada de qualquer potencial impacto da publicação.

O editorial publicado em PLOS Biology,2 em novembro de 2006, que anunciava o lançamento de PLOS ONE, mencionava duas práticas pioneiras e inovadoras a ser adotadas pelo novo periódico. A primeira informa que “se o artigo for aceito, o nome do editor responsável será publicado no artigo como um reconhecimento de seu papel e responsabilidade em disponibilizar o artigo publicamente.”2 A segunda, se refere à continuidade da discussão do artigo pós-publicação: “uma vez que um artigo esteja em domínio público após a publicação, a revisão por pares aberta começará. Os leitores podem comentar – e avaliar – artigos. Os artigos não serão uma declaração estática de fatos, mas o início de uma conversa com a comunidade científica.”2

Em 2022, quando assistimos aos esforços da comunidade científica, especialmente editores de periódicos, sociedades científicas e instituições de pesquisa, em mostrar a todos os atores os benefícios de operar com práticas de ciência aberta, ao mesmo tempo que buscam recursos com agências de fomento e governos para operacionalizá-las, as recomendações visionárias do PLOS ONE acenam que há mais de uma década a ciência aberta já era parte integrante da comunicação científica, apenas não nos havíamos dado conta disso.

PLOS reporta em seu blog3 as observações sobre a experiência em publicar o Histórico da Avaliação por Pares nos periódicos da coleção desde a implementação desta opção, três anos atrás. O total de artigos cujos autores e pareceristas optaram por adotar algum grau de avaliação por pares aberta soma mais de 18.000, neste intervalo de tempo.

A avaliação por pares aberta abarca várias práticas, como bem sabem os leitores deste blog,4 e a combinação entre elas pode resultar em ao menos 22 formas de avaliação por pares aberta (open peer review, OPR).

Segundo a PLOS, o elemento em comum às várias formas de avaliação por pares aberta é algum elemento de abertura no processo, que pode ser desde a possibilidade de comentários públicos até a publicação da carta de aceitação do editor. PLOS salienta que a regra geral de avaliação por pares em seus periódicos é anônima e os pareceres, confidenciais. No entanto, pareceristas podem optar por assinar seus pareceres, e são advertidos da possibilidade da publicação destes pareceres.

Ao ter um artigo aprovado para publicação, os autores podem optar por publicar o Histórico de Avaliação por Pares, que inclui os seguintes documentos: (i) Cartas de decisão do Editor; (ii) Pareceres de avaliação (assinados pelos pareceristas, se for o caso); e (iii) Respostas dos autores aos comentários dos pareceristas.

De acordo com as opções do parecerista e autor, são possíveis quatro combinações, mostradas no diagrama a seguir.

Quadro mostrando as modalidades de avaliação por pares da PLOS

Figura 1. Adaptado de MORTON, L. Published Peer Review History at PLOS: Observations from the past three years2

Cabe notar que a decisão sobre a publicação do histórico da avaliação por pares recai sobre o autor. O parecerista pode decidir não assinar seu informe, porém isso não impede seu parecer de ser publicado anonimamente. O mais importante, salienta o PLOS, os benefícios em compartilhar o histórico, estão no teor dos pareceres e não na identificação dos pareceristas, pois muito se discute sobre a anonimidade destes, quando o foco está no “feedback construtivo dos pareceres abertos”.

Com a finalidade de formar uma base de dados de pareceres abertos, os componentes do histórico da avaliação por pares recebem um DOI e são armazenados em formato legível por máquina, em um servidor externo para mineração e análise de dados, ademais de ser publicados na plataforma dos periódicos, junto aos respectivos artigos.

O que levou o PLOS a oferecer a autores e pareceristas a opção de publicar o histórico de avaliação por pares, enquanto outros como eLife, determinados periódicos da coleção TheBMJ e EMBO Press preferem tornar a avaliação aberta uma regra e permitir que autores optem por não publicar os pareceres? Os editores do PLOS acreditam que esta versão fornece flexibilidade e controle aos autores, ao invés de impor um modelo de avaliação aberta.

O percentual relativamente baixo de adesão à publicação do histórico de avaliação por pares – em média 40% – é compensado pelo elevado número de artigos publicados pelos periódicos PLOS, que é de cerca de 18.000/ano. Para efeito de comparação, este número é 5 a 10 vezes o número de artigos publicados por BMJ Open e eLife, respectivamente. O número de artigos que publicaram o histórico de avaliação por pares de 2019 a 2021 soma mais de 17.000, o que fornece um corpus de dados bastante rico para análise.

Os dados registrados por PLOS permitem estudar o comportamento dos pareceristas em assinar os pareceres dos históricos de avaliação. Do total de avaliações, 17.8% foram assinadas, o que corresponde a cerca de 40 mil pareceristas. Dos artigos que tiveram seu histórico publicado, 44% contavam com a assinatura de ao menos um dos pareceristas. Estes números, é importante notar, ao contrário dos dados de autores, que contam apenas os de artigos aprovados, se referem à pareceristas no total, de artigos aprovados e não aprovados para publicação. Cabe notar, portanto, que o maior percentual de pareceres assinados se refere à artigos aprovados ou com recomendações menos importantes.

Os editores de PLOS relatam manter um diálogo aberto e perene com os membros das comunidades de pesquisadores, editores e partes interessadas, e consideram a avaliação por pares por demais importante para ser conduzida por meio de um modelo imposto e que não seja consenso entre as partes envolvidas. Soa como uma boa prática.

Notas

1. PLOS, por ocasião de seu lançamento em 2001, era o acrônimo de Public Library of Science. Atualmente, o nome do publisher não mais remete ao acrônimo.

2. MACCALLUM, C.J. ONE for all: the next step for PLoS. PLoS Biol. [online]. 2006, vol. 4, no. 11, e401 [viewed 5 July 2022]. https://doi.org/10.1371/journal.pbio.0040401. Available from: https://journals.plos.org/plosbiology/article?id=10.1371/journal.pbio.0040401

3. MORTON, L. Published Peer Review History at PLOS: Observations from the past three years [online]. The Official PLOS Blog, 2022 [viewed 5 July 2022]. Available from: https://theplosblog.plos.org/2022/06/observations-on-published-peer-review-history

4. SPINAK, E. Sobre as vinte e duas definições de revisão por pares aberta… e mais [online]. SciELO em Perspectiva, 2018 [viewed 5 July 2022]. Available from: https://blog.scielo.org/blog/2018/02/28/sobre-as-vinte-e-duas-definicoes-de-revisao-por-pares-aberta-e-mais/

Referências

MACCALLUM, C.J. ONE for all: the next step for PLoS. PLoS Biol. [online]. 2006, vol. 4, no. 11, e401 [viewed 5 July 2022]. https://doi.org/10.1371/journal.pbio.0040401. Available from: https://journals.plos.org/plosbiology/article?id=10.1371/journal.pbio.0040401

MORTON, L. Published Peer Review History at PLOS: Observations from the past three years [online]. The Official PLOS Blog, 2022 [viewed 5 July 2022]. Available from: https://theplosblog.plos.org/2022/06/observations-on-published-peer-review-history

SPINAK, E. Sobre as vinte e duas definições de revisão por pares aberta… e mais [online]. SciELO em Perspectiva, 2018 [viewed 5 July 2022]. Available from: https://blog.scielo.org/blog/2018/02/28/sobre-as-vinte-e-duas-definicoes-de-revisao-por-pares-aberta-e-mais/

Links externos

About PLOS – PLOS: https://plos.org/about/

Text and Data Mining – PLOS: https://plos.org/text-and-data-mining/

 

Sobre Lilian Nassi-Calò

Lilian Nassi-Calò é química pelo Instituto de Química da USP e doutora em Bioquímica pela mesma instituição, a seguir foi bolsista da Fundação Alexander von Humboldt em Wuerzburg, Alemanha. Após concluir seus estudos, foi docente e pesquisadora no IQ-USP. Trabalhou na iniciativa privada como química industrial e atualmente é Coordenadora de Comunicação Científica na BIREME/OPAS/OMS e colaboradora do SciELO.

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

NASSI-CALÒ, L. PLOS reporta sobre publicação do Histórico da Avaliação por Pares Aberta [online]. SciELO em Perspectiva, 2022 [viewed ]. Available from: https://blog.scielo.org/blog/2022/07/05/plos-reporta-sobre-publicacao-do-historico-da-avaliacao-por-pares-aberta/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Post Navigation