A ANPOCS, seus Encontros Nacionais e a Ciência Aberta

Por Gilberto Hochman, Fiocruz e ANPOCS, e Luiz Augusto Campos, IESP-UERJ

Entre os dias 19 e 27 de outubro, aconteceu o 45 Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação em Ciências Sociais (ANPOCS). Em sua segunda edição virtual, o Encontro recebeu mais de 950 trabalhos discutidos nos seus Grupos de Trabalho (GTs) e Seminários Pós-Graduados (SPGs). Trata-se de um dos maiores e mais renomados eventos das ciências sociais, além de espaço central de debate sobre os destinos acadêmicos e políticos da disciplina.

Parte de nossas discussões focaram nos desafios editoriais dos periódicos acadêmicos em nossa área no Fórum de Editores Científicos que contou com três sessões transmitidas e acessíveis permanentemente no YouTube. A despeito das particularidades de cada periódico, todos enfrentam sérios problemas relacionados à sua sustentabilidade financeira, bem como às transformações recentes no mundo da editoração científica nas ciências sociais, em especial aquelas relacionadas à Ciência Aberta que vem transformando a comunicação científica, não sem fortes resistências, e que já foi incorporada em políticas de governos, de agências internacionais de fomento e organismos internacionais.

Graças à iniciativa de diferentes instituições, a editoração científica brasileira vem se profissionalizando de modo consistente nas últimas décadas. Apesar da forte crise de financiamento, o número de revistas da área também se expandiu consistentemente e suas editorias vêm se profissionalizando. As agências de fomento federais e estaduais, programas de incentivo de várias universidades e centros de pesquisa e a Plataforma SciELO tiveram um papel central na indução desses processos que ainda estão em curso.

Os Congressos e Encontros das 3 áreas das ciências sociais (Antropologia, Sociologia e Ciência Política) têm se constituído em espaços de debates sobre essas mudanças. Contudo, resta ainda avaliar em que medida eles próprios não podem se somar aos esforços de institucionalização das novas práticas editoriais. Para o próximo ano, a ANPOCS incentivará a submissão a servidores de preprints dos papers aprovados nos diferentes GTs e SPGs. A ideia aqui é não apenas fomentar o envio de trabalhos completos ao Congresso, mas fundamentalmente incentivar o registro de autoria e de originalidade, o compartilhamento dos processos de trabalho, das informações e dados, e da colaboração com outros pesquisadores e grupos de pesquisa. Esperamos com isso também adicionar ao servidor de preprint as discussões realizadas no âmbito do GTs e SPGs, consolidando a vocação do nosso Congresso em preparar manuscritos para a posterior publicação.

Um número crescente de periódicos das ciências sociais estão aceitando a submissão de artigos publicados em servidores de preprints. A Revista Brasileira de Ciências Sociais, um dos periódicos da ANPOCS, adotou essa orientação em 2021. Outra de nossas publicações, a Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais (BIB), também reformulou suas normas para se abrir ao programa da Ciência Aberta. O objetivo não é apenas aumentar esse conjunto de periódicos, mas, sobretudo, incorporar nesses processos os preprints oriundos dos Encontros Anuais incentivando uma mudança nas práticas de comunicação científica da comunidade de cientistas sociais e de seus próprios periódicos. Essa política visa reforçar os caminhos das ciências sociais na direção da Ciência Aberta e estabelecer um diálogo sobre políticas editoriais básicas para área em relação à questão, respeitando as especificidades e autonomia de cada periódico.

A prática de circulação de manuscritos prévia à aceitação em revistas não é nova nas nossas disciplinas, centros de pesquisa e programas de pós-graduação. Diferentes instituições mantiveram durante longos períodos publicações que tinham justamente o objetivo de circular textos ainda em fase de consolidação ou resultados preliminares de pesquisas. Foi o caso, por exemplo, dos Textos para Discussão do IPEA, a Série Estudos, com quase 100 papers, do antigo Iuperj, atual IESP-UERJ (Instituto de Estudos Sociais e Políticos, Universidade do Estado do Rio de Janeiro) e os Cadernos de Pesquisa do NEPP-Unicamp publicado entre 1987 e 2010 e retomado em 2017. Ademais, todos os congressos mais importantes da nossa área buscam manter os papers aprovados em suas páginas virtuais.

Nesse sentido, a intenção agora é consolidar essas práticas promovendo redes que conectam a produção científica, os debates acadêmicos nos congressos, os repositórios e servidores de preprint e os periódicos. Assim procedendo, a ANPOCS espera realizar a sua missão institucional, contribuir para o fortalecimento acadêmico e político do periodismo científico e das Ciências Sociais como Ciências Abertas.

Links externos

ANPOCS – YouTube: https://www.youtube.com/c/anpocsof/videos

Revista Brasileira de Ciências Sociais (RBCSOC): https://www.scielo.br/rbcsoc/

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

HOCHMAN, E. and CAMPOS, L.A. A ANPOCS, seus Encontros Nacionais e a Ciência Aberta [online]. SciELO em Perspectiva, 2022 [viewed ]. Available from: https://blog.scielo.org/blog/2022/01/07/a-anpocs-seus-encontros-nacionais-e-a-ciencia-aberta/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Post Navigation