Os fundamentos sobre os tipos de conteúdo: Preprints, Crossmark, traduções e muito mais

Por Isaac Farley

Nos posts anteriores desta série do Crossref/SciELO, minhas colegas, Chrissie Cormack Wood, Chefe de Comunicações e Laura Wilkinson, Gerente de Educação, apresentaram o Crossref e o papel crítico do DOI. Lembrando, um DOI, ou “identificador de objeto digital” (digital object identifier) é um link único, persistente e solucionável para um resultado de pesquisa, como um artigo de periódico ou livro. Os DOIs e os metadados associados a estes identificadores persistentes são a base desta série de posts e do nosso trabalho.

Preprints: Os fundamentos

Durante os últimos dois anos, a taxa de crescimento de registros de artigos em preprints foi dez vezes maior do que a taxa de crescimento dos registros de artigos de periódicos, fazendo dos preprints um dos tipos de conteúdo que mais crescem. Esta taxa de crescimento por si só não é a única razão para prestar atenção aos preprints. Nossos membros citaram os benefícios dos preprints, incluindo:

  • Acelerar o compartilhamento de resultados;
  • Priorizar descobertas e ideias;
  • Facilitar o avanço na carreira; e
  • Melhorar a cultura de comunicação na comunidade acadêmica.

Como muitos de vocês sabem, preprints, ahead of print e versões de registro estão intrinsecamente conectados, mas suas diferenças práticas exigem diferenças técnicas na forma como recomendamos que você registre e mantenha os registros de metadados de cada um deles.

Definindo tipos de conteúdos
Preprints são versões originais de um trabalho que são submetidos para possível publicação. Eles são frequentemente enviados para um servidor de preprints, como bioRxiv . Os preprints não passaram por um processo formal de avaliação por pares e não foram aceitos para publicação. Essas versões de preprints podem ser gratuitas antes (e às vezes depois) que a versão do registro, ou versão aceita do trabalho, for publicada . Preprints recebem um DOI diferente do ahead of print e da versão final de um artigo publicado.
Conteúdo ahead of print atende por muitos nomes – publicar “ahead of print” ( antes da impressão ), “article in progress” ( artigo em andamento ), “article in press” ( artigo no prelo ), “online ahead of print” ( online antes da impressão ) ou “online first” ( primeira versão online ). Artigos ahead of print passaram pelo processo formal de avaliação por pares e foram aceitos para publicação. Eles são frequentemente disponibilizados online com um DOI Crossref antes de ser formalmente publicados . Conteúdos ahead of print compartilham o DOI com sua versão correspondente de registro.
A versão de registro é a versão final publicada, e hoje a maioria das versões de registro são eletrônicas. Às vezes, estas versões finais são corrigidas, retratadas ou aprimoradas com o tempo. A versão de registro é o registro mais atualizado da publicação .

 

Uma diferença fundamental entre preprints, ahead of print e versões de registro é a aceitação. Por causa disso, os preprints devem ter DOIs exclusivos, enquanto ahead of prints e versões de registros compartilham um DOI (os metadados associados a um artigo ahead of print serão atualizados e se tornarão a versão de registro após a publicação final).

Embora esta prática de atribuir DOIs exclusivos a preprints resulte em dois DOIs para um registro relacionado – e alguns expressaram preocupação com o potencial de fragmentação de citações para trabalhos semelhantes ou relacionados – o preprint destina-se a ser único e deve, por definição, ter seu próprio DOI. Como o nosso objetivo como comunidade é a transparência aberta do registro acadêmico, dois DOIs exclusivos para preprints e para a versão do registro são a única prática de registro aceitável.

Amostra XML de um preprint

Como mencionado acima, se tudo correr bem, o artigo em preprint que foi submetido ao seu periódico favorito para publicação será aceito e aparecerá em versão impressa ou online (como aquela versão do registro de que falei). A partir daqui o XML para o preprint pode ser atualizado para interligar os dois trabalhos relacionados.

Tipos de conteúdo: Estabelecendo uma relação

Quando você estiver lendo e citando um artigo em um periódico, a história completa por trás de sua jornada até você pode ou não estar representada pelos metadados do artigo. Sua história é tão completa quanto seu registro de metadados. Muitas vezes, muitas peças complementares de diferentes organizações formam a história completa de um artigo – desde a produção, curadoria, publicação, tradução e atualização do trabalho. Essa história completa quase sempre requer interconexão – para o benefício seu e meu, como leitores, e das máquinas que complementam nosso trabalho.

Analogamente, figuras, tabelas e imagens podem receber DOIs exclusivos, como componentes do próprio artigo, melhorando seu potencial de uso e reutilização.

Os links referência deram ao Crossref o nosso começo; você não precisa procurar muito para confirmar isso. Começamos conectando artigos identificados entre si em uma bibliografia. Hoje isso se tornou uma rede rica e interconectada de citações. Além disso, expandimos para outros tipos de relacionamento. Uma das maneiras mais recentes de fazer isso é através do Crossmark, que constrói uma história completa de uma publicação registrando seu histórico de atualizações – desde quando o artigo foi recebido, aceito e publicado até a forma como foi financiado e informação sobre licenças.

Todos esses serviços do Crossref nos permitem construir relacionamentos entre nossos itens de conteúdo e contar a história mais completa possível do seu trabalho. Abaixo, incluí exemplos de tipos de relacionamento comuns e uma amostra XML de uma tradução. Recomendamos que traduções de obras originais recebam diferentes DOIs e sejam conectadas pela relação “isTranslationOf”.

Conjunto de dados produzido por um grupo diferente de pesquisadores ou publicado anteriormente “references”
Avaliação por pares “hasReview”
Preprint “hasPreprint”
Referências “references”
Tradução “isTranslationOf”
Versão “isVersionOf”

Amostra XML de uma tradução

Neste exemplo, o XML abaixo representa um artigo publicado em dois idiomas no mesmo periódico, usando DOIs distintos. A instância do idioma original (não mostrada aqui) não inclui a indicação da tradução em seus metadados. A instância do idioma alternativo (mostrada abaixo) inclui em seus metadados uma relação com a instância do idioma original:

Este post é o terceiro em uma série de cinco publicações do Crossref; nos próximos meses falaremos mais sobre o papel do DOI, particularmente em termos de

Referências

BILDER, G. Members will soon be able to assign Crossref DOIs to preprints [online]. Crossref Blog, 2016 [viewed 22 August 2018]. Available from: https://www.crossref.org/blog/members-will-soon-be-able-to-assign-crossref-dois-to-preprints/

DEPELLEGRIN, T. Pondering preprints and progress [online]. Science Editor. 2018 [viewed 22 August 2018]. Available from: https://www.csescienceeditor.org/article/pondering-preprints-and-progress/

FEENEY, P. Relationships between DOIs and other objects [online]. Crossref. 2018 [viewed 22 August 2018]. Available from: https://support.crossref.org/hc/en-us/articles/214357426-Relationships-between-DOIs-and-other-objects

JACKSON, P. The Version of Record: What Is It and Does It Matter? [online]. APA Style Blog, 2009 [viewed 22 August 2018]. Available from: http://blog.apastyle.org/apastyle/2009/12/the-version-of-record-what-is-it-and-does-it-matter.html

LIN, J. Getting ready to run with preprints, any day now [online]. Crossref Blog, 2016 [viewed 22 August 2018]. Available from: https://www.crossref.org/blog/getting-ready-to-run-with-preprints-any-day-now/

LIN, J. Preprints growth rate ten times higher than journal articles [online]. Crossref Blog, 2018 [viewed 22 August 2018]. Available from: https://www.crossref.org/blog/preprints-growth-rate-ten-times-higher-than-journal-articles/

SWOGER, B. Understanding your rights: pre-prints, post-prints and publisher versions [online]. Information Culture, 2013 [viewed 22 August 2018]. Available from: https://blogs.scientificamerican.com/information-culture/understanding-your-rights-pre-prints-post-prints-and-publisher-versions/

WILKINSON, L.J. The critical role of the DOI [online]. SciELO in Perspective, 2018 [viewed 22 August 2018]. Available from: https://blog.scielo.org/en/2018/08/02/the-critical-role-of-the-doi/

WOOD, C.C. As razões porque o Crossref existe e persiste [online]. SciELO em Perspectiva, 2018 [viewed 22 August 2018]. Available from: https://blog.scielo.org/blog/2018/07/17/as-razoes-porque-o-crossref-existe-e-persiste/

Links externos

Crossmark <https://www.crossref.org/services/crossmark/>

Digital Object Identifier <https://en.wikipedia.org/wiki/Digital_object_identifier>

Isaac Farley <https://orcid.org/0000-0002-9117-4510>

 

Sobre Isaac Farley

Isaac entrou para o Crossref como Gerente de Suporte, parte da equipe de Contato com Membros & Comunidades, em abril de 2018. Juntamente com o restante da equipe de suporte do Crossref, ele passa a maior parte de seus dias fornecendo suporte de excelente qualidade aos nossos mais de 10.500 membros. Antes de ingressar no Crossref, ele trabalhou para a Society of Exploration Geophysicists como Gerente de Publicações Digitais. Além de mais de cinco anos de experiência em publicação digital, ele tem experiência anterior em construção de comunidades, engajamento de voluntários e educação.

 

Traduzido do original em inglês por Lilian Nassi-Calò.

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

FARLEY, I. Os fundamentos sobre os tipos de conteúdo: Preprints, Crossmark, traduções e muito mais [online]. SciELO em Perspectiva, 2018 [viewed ]. Available from: https://blog.scielo.org/blog/2018/08/22/os-fundamentos-sobre-os-tipos-de-conteudo-preprints-crossmark-traducoes-e-muito-mais/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Post Navigation