SciELO Brasil revisa os critérios de indexação

Por Abel L Packer e Fabiana Montanari

Formulário de avaliação SciELO Brasil

Formulário de avaliação SciELO Brasil

O Programa SciELO está atualizando os critérios de indexação da Coleção SciELO Brasil como um componente importante da implantação das linhas prioritárias de ação de profissionalização, internacionalização e fortalecimento da sustentabilidade financeira dos periódicos que indexa e publica, com o objetivo de promover um avanço da sua qualidade, visibilidade e impacto. Os critérios são atualizados e aplicados pelo Comitê Consultivo do SciELO Brasil que é responsável por todas as decisões relativas ao ingresso e permanência de periódicos na coleção. Os critérios da Coleção SciELO Brasil servem de referência para as coleções dos demais países que integram a Rede SciELO. A versão atual dos critérios¹ está disponível no portal do SciELO e a nova versão será anunciada no segundo semestre de 2014.

Neste ano de 2014, o Programa SciELO completa 16 anos de operação regular e com avanços seguidos na metodologia, tecnologias, produtos e serviços em prol do desenvolvimento dos periódicos de qualidade que indexa e publica. A Conferência SciELO 15 Anos, realizada em outubro de 2013, promoveu uma ampla análise e debate sobre o desenvolvimento e as inovações que estão moldando o futuro da comunicação científica com destaque para as oportunidades e desafios que se apresentam para os periódicos dos países em desenvolvimento e emergentes, em particular os periódicos indexados pela Rede SciELO. Os novos critérios de indexação do SciELO deverão contribuir decisivamente para alinhar o desenvolvimento dos periódicos brasileiros com o estado da arte internacional em editoração, publicação e intercâmbio de informação científica.

Os critérios SciELO de indexação são centrados na identificação e promoção do caráter científico dos periódicos, ou seja, a comunicação predominante de resultados de pesquisa original, assim como de ensaios e outros tipos de comunicação. A revisão dos manuscritos por pares é uma condição mandatória, bem como a representatividade, distribuição institucional e geográfica do corpo editorial e dos autores. Periódicos que privilegiam a composição do corpo de editores, pareceristas ou autores de uma mesma instituição ou entidade geográfica não são aceitos na coleção.

O fluxo de produção dos periódicos deve ser o mais transparente e eficiente possível e compõem um conjunto de critérios específicos. A expectativa é que no futuro próximo todos os periódicos operem com sistemas de gestão online de manuscritos que permitam o acompanhamento do processo de avaliação por parte dos autores e com o mínimo tempo possível entre a data de submissão e do resultado da avaliação. O sistema deverá prover função de apoio à detecção de plágio, opção de cobrança de taxa de publicação e estatísticas atualizadas do número de manuscritos, taxas de rejeição imediata e de aprovação após análise de pareceristas ad hoc.

A internacionalização é um aspecto fundamental na gestão do fluxo de artigos e contribui decisivamente para aumentar a visibilidade das pesquisas e, portanto a perspectiva de serem citadas em outros estudos. A internacinoalização aplica-se para todos os periódicos e é medida pela presença de pesquisadores estrangeiros como editores, pareceristas e, principalmente, como autores. A publicação em inglês é uma condição necessária – porém não suficiente para a internacionalização.

Os manuscritos aprovados deverão ter os textos revisados tanto no português quanto no inglês por serviços profissionais e continuamente avaliados pelos editores e autores. Os textos em formato XML serão considerados como fonte original para os demais formatos, como o HTML, PDF e ePUB assim como para a geração dos metadatos intercambiados com índices e sistemas de informação científica, para as bases de dados bibliométricas e para as operações de interoperabilidade em geral.

A publicação continua de artigos, ou seja, tão logo sejam aprovados e revisados, é altamente recomendável como prática para acelerar o fluxo dos artigos e maximizar o tempo de exposição para downloads e citações no SciELO e outros índices e sistemas que operam na Web. Quando associada à publicação exclusivamente online, não existe limitações de número de artigos.

A disseminação e marketing são elementos essenciais para o desenvolvimento e operação dos periódicos de qualidade e no aumento sustentável da visibilidade nacional e internacional. Além da presença nos principais índices internacionais, sua implantação acontece principalmente nas redes sociais. Desta forma, os periódicos deverão adotar suas próprias estratégias de operação nas redes sociais e/ou participar das soluções cooperativas que o SciELO vem promovendo por meio do Blog SciELO em Perspectiva.

O escopo do Programa SciELO é multidisciplinar e os critérios de indexação e sua revisão atual levam em conta as características de cada área do conhecimento ao fixar-se os critérios. Assim, por exemplo, os valores mínimos para número de artigos, porcentagem de artigos em inglês, média de citações por artigo, entre outros, são estabelecidos por área temática. Sempre que necessário, o Comitê Consultivo estabelece comitês temáticos específicos para a análise do conjunto dos periódicos por disciplina ou área temática. Neste semestre, estão trabalhando comitês específicos para as áreas de enfermagem, psicologia e administração. Outro aspecto importante na aplicação dos critérios para a entrada e permanência de periódicos é a decisão condicional com tempo de espera para sua efetivação a que o Comitê Consultivo recorre para que os periódicos tenham suficiente tempo para o seu cumprimento.

Os novos critérios de indexação que orientará a entrada e permanência de novos periódicos na Coleção SciELO Brasil estão sendo elaborados com base na evolução do desempenho dos periódicos indexados e com o objetivo de acelerar os processos de profissionalização, internacionalização e sustentabilidade financeira dos periódicos de qualidade indexados pelo SciELO.

Nota

¹ http://www.scielo.br/avaliacao/avaliacao_pt.htm

Link Externo

Conferência SciELO 15 Anos – http://www.scielo15.org/

 

 

[Revisado – 07 Julho 2015]

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

PACKER, A and MONTANARI, F. SciELO Brasil revisa os critérios de indexação [online]. SciELO em Perspectiva, 2014 [viewed ]. Available from: http://blog.scielo.org/blog/2014/05/09/scielo-brasil-revisa-os-criterios-de-indexacao/

 

One Thought on “SciELO Brasil revisa os critérios de indexação

  1. Pingback: SciELO Brasil revisa os critérios de indexação | Blog da BC

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation