Medindo e comparando universidades brasileiras e latino-americanas em termos de produção de conhecimento acadêmico e relacionado à indústria

Por Antonio Prado e André Luiz Sica de Campos

A chamada “terceira missão” das universidades é a mais recente, porém muito importante atribuição das universidades modernas. Refere-se a atividades desenvolvidas em parceria com a sociedade, incluindo vínculos universidade-indústria realizadas com o objetivo de desenvolver novas tecnologias, constituindo um possível resultado da pesquisa aplicada. Estas ligações podem contribuir para aumentar a qualidade do desenvolvimento tecnológico de um determinado país, o que é muito importante para apoiar a indústria a competir em uma economia do conhecimento globalizada.

Portanto, é muito importante estimular estes vínculos, pois ampliam o número de instituições acadêmicas que trabalham no contexto do chamado “tríplice hélice”, onde universidades, indústria e Governo compartilham esforços para desenvolver a economia da região ou país. Significa a criação de “universidades empreendedoras”, que são instituições acadêmicas com forte foco na realização de pesquisas que são aplicadas quase que imediatamente a produtos industriais novos ou existentes, necessários à sociedade e desenvolvidos pelas “universidades empreendedoras”.

Neste sentido, para ajudar a aumentar estas atividades práticas, é muito importante desenvolver métricas que possam ser usadas para avaliar a quantidade e a qualidade da produção universitária em termos de produtos acadêmicos e relacionados à indústria. Usando estas métricas, podemos verificar a evolução destes produtos e compará-los entre diferentes países. Desta forma, podemos verificar o sucesso das políticas de inovação aplicadas por diferentes países e instituições em uma comparação relativa entre produtos acadêmicos e relacionados à indústria.

A razão para fazer medições comparativas é considerar a intensificação da aplicação do conhecimento pelo setor acadêmico e medir a evolução do foco em pesquisa pura e aplicada, ao invés de indicar um aumento geral na produção das universidades.

Considerando estes aspectos, o artigo Using the “U-Multirank” to Compare the Performances of Brazilian Universities with Latin American Countries in Academic and Industry Products1, disponível em SciELO Preprints, compara o desempenho das universidades brasileiras em termos de produções acadêmicas e relacionadas à indústria, com o de outros países da América Latina, selecionados por aspectos econômicos, históricos e culturais compartilhados. Os países selecionados são Argentina, Chile, Colômbia, Equador e Peru, representando a América do Sul, e México e Costa Rica, representando países da América do Norte e Central.

Estas medições foram baseadas nas avaliações geradas pelo U-Multirank de 2017 a 2020. O U-Multirank é um ranking acadêmico multidimensional implementado na Europa em 2014. Avalia instituições acadêmicas em cinco dimensões (Ensino e Aprendizagem, Pesquisa, Transferência de Conhecimento, Orientação Internacional e Engajamento Regional). Cada uma destas dimensões é dividida em vários indicadores, entre quatro e onze, dependendo da dimensão.

O principal objetivo do ranking é fornecer informação para ajudar os futuros alunos a escolher uma instituição internacional de ensino superior que mais se aproxime de seus interesses. Candidatos universitários podem avaliar cada indicador, separadamente ou em grupos, a fim de verificar a orientação institucional antes de tomar uma decisão final. Outras referências que podem ser usadas para saber mais sobre o ranking são o livro Multidimensional Ranking: The Design and Development of U-Multirank2 e os artigos Multidimensional Academic Evaluation using the ‘U-Multirank’3, Performances of the Brazilian Universities in the “U-MULTIRANK” in the Period 2017-20204 e Study of the multidimensional academic ranking “U-Multirank”5.

Estas características não apenas tornam este ranking bastante adequado para as comparações aqui propostas, como também o tornam um modelo propício para as avaliações dos programas de pós-graduação brasileiros realizados pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). O ranking possui muitas das características desejadas pela avaliação multidimensional proposta pela CAPES. Esta nova avaliação é um “hot topic” para debate no Brasil, portanto, aprender sobre rankings multidimensionais é relevante atualmente.

Para implementar este estudo, calculamos os níveis médios de desempenho de todas as instituições brasileiras listadas no U-Multirank entre 2017 e 2020 em que foram utilizados 35 indicadores. Estudando estes indicadores, identificamos que quatro deles podem ser considerados relacionados à produção acadêmica: Taxa de citação, Publicações de pesquisa (números absolutos), Publicações de pesquisa (tamanho normalizado) e Publicações mais citadas.

Há também quatro indicadores que podem ser utilizados para medir o resultado das relações “universidade-indústria”: Copublicações com parceiros industriais, Patentes concedidas (números absolutos), Patentes concedidas (tamanho normalizado), Publicações citadas em patentes e Copublicações com parceiros industriais. O presente estudo se concentra nestes oito indicadores. A definição destes indicadores pode ser encontrada no U-Multirank Indicator Book (2021)6 (acessado pelos autores em 11 de fevereiro de 2022).

Os resultados aqui apresentados mostram que as universidades brasileiras apresentam indicadores robustos em termos de quantidade de publicações quando comparados à qualidade, com resultados acima das médias mundiais em quantidade, mas abaixo das médias mundiais nos indicadores “Taxa de Citação” e “Mais Citados”. Apesar disso, há um ponto positivo aqui, pois houve uma melhora nos últimos anos para o indicador “Taxa de Citação”. Observando os países da América do Sul, o Chile obteve os melhores resultados em relação às citações em ambos os indicadores.

Em termos de números de patentes, as universidades brasileiras estão abaixo das médias mundiais em termos de números absolutos e normalizados por tamanho, mas as diferenças são muito maiores em números absolutos. Este indicador apresentou um aumento importante em 2020, quando o Brasil atingiu um número um pouco acima da média mundial pela primeira vez no período estudado.

O indicador “Publicações citadas em patentes” apresenta números constantes e abaixo das médias mundiais a cada ano, mas estão próximos dos resultados obtidos no indicador “Taxa de Citação”, o que significa que a importância da ciência brasileira em relação aos produtos acadêmicos e industriais são similares. O Chile tem o melhor desempenho em todos os indicadores de produtos relacionados à indústria.

Evidentemente, este é um estudo preliminar e mais observações devem ser realizadas sobre este tema, avaliando mais países, por prazos mais longos e outros aspectos relacionados a produtos de inovação. De qualquer forma, ele oferece algumas diretrizes a serem seguidas, e indica quais aspectos parecem ser mais importantes a observar.

Notas

1. PRADO, A. and CAMPOS, A.L.S. Using the “U-Multirank” to Compare the Performances of Brazilian Universities with Latin American Countries in Academic and Industry Products. SciELO Preprints. 2022 [viewed 09 March 2022]. https://doi.org/10.1590/SciELOPreprints.3568. Available from: https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/view/3568/version/3779

2. VAN VUGHT, F.A. and ZIEGELE, F. (ed.). Multidimensional Ranking: The Design and Development of U-Multirank. New York: Springer, 2012.

3. PRADO, A. Multidimensional Academic Evaluation using the ‘U-Multirank’. SciELO Preprints. 2021 [viewed 09 March 2022]. https://doi.org/10.1590/SciELOPreprints.2661. Available from: https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/view/2661/version/2813

4. PRADO, A. Performances of the Brazilian Universities in the “U-MULTIRANK” in the Period 2017-2020. SciELO Preprints. 2021 [viewed 09 March 2022]. https://doi.org/10.1590/SciELOPreprints.2351. Available from: https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/view/2351/version/2490

5. PRADO, A. Study of the multidimensional academic ranking “U-Multirank”. SciELO Preprints. 2021 [viewed 09 March 2022]. https://doi.org/10.1590/SciELOPreprints.3063. Available from: https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/view/3063/version/3234

6. U-MULTIRANK. U-Multirank Indicator Book [online]. U-Multirank. 2021 [viewed 09 March 2022]. Available from: https://www.umultirank.org/export/sites/default/press-media/documents/Indicator-Book-2021.pdf

Referências

CLARK, B.R. Creating entrepreneurial universities: organizational pathways of transformation. Oxford: International Association of Universities/Pergamon Press Inc., 1998.

DE CAMPOS, A. and DA COSTA, J. P. Governança de redes e formalização da pesquisa e desenvolvimento (P&D): novos fatores para a análise da relação universidade empresa. In: VESSURI, H., et al. (ed.) Perspectivas latinoamericanas em el estudio social de la ciencia, la tecnología y el conocimiento. México, D.F.: Editorial SigloVeintiuno, 2014.

DE CAMPOS, A.L. A review of the influence of long-term patterns in research and technological development (R&D) formalization on university-industry links. Revista Brasileira de Inovação [online]. 2010, vol.9, pp.379-410 [viewed 09 March 2022]. https://doi.org/10.20396/rbi.v9i2.8649006. Available from: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rbi/article/view/8649006

LAREDO, P. Revisiting the Third Mission of Universities: Toward a Renewed Categorization of University Activities? High Educational Policy [online]. 2007, vol. 20, pp.441–456 [viewed 09 March 2022]. https://doi.org/10.1057/palgrave.hep.8300169. Available from: https://link.springer.com/article/10.1057/palgrave.hep.8300169

PRADO, A. and CAMPOS, A.L.S. Using the “U-Multirank” to Compare the Performances of Brazilian Universities with Latin American Countries in Academic and Industry Products. SciELO Preprints. 2022 [viewed 09 March 2022]. https://doi.org/10.1590/SciELOPreprints.3568. Available from: https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/view/3568/version/3779

PRADO, A. Multidimensional Academic Evaluation using the ‘U-Multirank’. SciELO Preprints. 2021 [viewed 09 March 2022]. https://doi.org/10.1590/SciELOPreprints.2661. Available from: https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/view/2661/version/2813

PRADO, A. Performances of the Brazilian Universities in the “U-MULTIRANK” in the Period 2017-2020. SciELO Preprints. 2021 [viewed 09 March 2022]. https://doi.org/10.1590/SciELOPreprints.2351. Available from: https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/view/2351/version/2490

PRADO, A. Study of the multidimensional academic ranking “U-Multirank”. SciELO Preprints. 2021 [viewed 09 March 2022]. https://doi.org/10.1590/SciELOPreprints.3063. Available from: https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/view/3063/version/3234

THUNE, T. The training of Triple Helix workers: doctoral students in university-industry government collaborations. Minerva [online]. 2010, vol.48, pp.463-483 [viewed 09 March 2022]. http://dx.doi.org/10.1007/s11024-010-9158-7. Available from: https://link.springer.com/article/10.1007/s11024-010-9158-7

U-MULTIRANK. U-Multirank Indicator Book [online]. U-Multirank. 2021 [viewed 09 March 2022]. Available from: https://www.umultirank.org/export/sites/default/press-media/documents/Indicator-Book-2021.pdf

VAN VUGHT, F.A. and ZIEGELE, F. (ed.). Multidimensional Ranking: The Design and Development of U-Multirank. New York: Springer, 2012.

 

Sobre Antonio F. B. A. Prado

Graduado em Engenharia Física e Química pela USP, Mestre em Ciências Espaciais pelo INPE, Mestre e Doutor em Engenharia Aeroespacial pela Universidade do Texas em Austin. Membro da International Academy of Astronautics e Membro Associado do American Institute of Aeronautics and Astronautics. Pesquisador PQ1A do CNPq. Reconhecido como um dos pesquisadores mais citados (top 2%) nos anos de 2019 e 2020 pela Elsevier e Stanford University. Atividades anteriores: Membro do Comitê de Astrodinâmica da International Astronautical Federation; Presidente do Comitê Assessor de Engenharia Mecânica, Naval e Oceânica e Engenharia Aeroespacial do CNPq e Pró-Reitor do INPE.

 

Sobre André Luiz Sica de Campos

O Dr. André Campos graduou-se na Unicamp em Economia e obteve o grau de mestre na mesma instituição na área de Política Científica e Tecnológica. Neste último campo, obteve o título de PhD na Universidade de Sussex. Após um período de pós-doutorado na Inglaterra, ingressou na Unicamp, onde leciona na graduação sobre Gestão Pública e na e pós-graduação em Gestão e Política Científica e Tecnológica. Publicou mais de 35 artigos revisados por pares e capítulos de livros em periódicos como Human Relations e Social Studies of Science. Sua pesquisa foi financiada pelo CNPq, ESRC e Capes.

 

Traduzido do original em inglês por Lilian Nassi-Calò.

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

PRADO, A. and CAMPOS, A.L.S. Medindo e comparando universidades brasileiras e latino-americanas em termos de produção de conhecimento acadêmico e relacionado à indústria [online]. SciELO em Perspectiva, 2022 [viewed ]. Available from: https://blog.scielo.org/blog/2022/03/09/medindo-e-comparando-universidades-conhecimento-academico-e-relacionado-a-industria/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Post Navigation