A corrida do ouro: Por que o acesso aberto aumentará o lucro dos publishers [Publicado originalmente no blog LSE Impact of Social Sciences em junho/2019]

Por Shaun Khoo1

Por décadas, o custo dos periódicos por assinatura tem aumentado mais rapidamente do que a inflação. Lutando com esta crise das publicações seriadas, os bibliotecários encorajaram o desenvolvimento de periódicos de acesso aberto. Sob acesso aberto, qualquer pessoa pode acessar artigos de pesquisa, reduzindo a necessidade de bibliotecas para assinar periódicos. Isso pode beneficiar as bibliotecas, mas ao abrir os orçamentos de pesquisa como uma fonte de receita, ela também promete aumentar os lucros dos publishers.

A forma dominante de acesso aberto imediato envolve o pagamento de uma taxa de processamento de artigos (article processing charge, APC) ao publisher pelos autores ou suas instituições. Em teoria, a competição entre os publishers deveria aplicar pressão descendente sobre a APCs, já que os acadêmicos deveriam ao menos considerar o preço ao selecionar um periódico.

Mas isso não impediu que as APCs subissem mais que a inflação. De fato, vários autores têm alertado para uma potencial sequela do acesso aberto à crise das publicações seriadas. Isso levanta dúvidas sobre o fato de existir realmente concorrência de preços no mercado de acesso aberto.

Nenhuma evidência de sensibilidade ao preço

Em um artigo recente2, examinei se os autores realmente respondem ao preço na seleção do periódico. Eu esperava que, se os autores fossem sensíveis ao preço, os periódicos que introduzissem ou aumentassem as taxas deviam observar alguma perda nos volumes dos artigos.

Os periódicos normalmente introduzem uma APC alguns anos depois do lançamento ou, quando “mudam” de um modelo de assinatura para acesso aberto. Usando eLife e a Royal Society Open Science como estudos de caso de novos periódicos que introduziram recentemente APC, não observei nenhuma evidência de que a introdução da taxa resultou em qualquer perda no volume de artigos. Então, comparei os periódicos que mudaram para acesso aberto e, novamente, não vi nenhum sinal de que os periódicos que começam a cobrar APC tivessem perdido autores.

Os principais publishers comerciais também aumentam regularmente suas taxas ao longo do tempo. Examinei o efeito dos aumentos de taxas ao longo do tempo sobre o número de artigos publicados em 319 periódicos dos quatro maiores publishers comerciais de acesso aberto financiados por APC. Em vez de maiores APCs predizerem volumes de artigos mais baixos, minha análise estatística indicou que APCs mais elevadas previam volumes de artigos mais altos.

Por que o preço não é um impedimento

Ao escolher um periódico, o fator mais importante é o seu valor de “prestígio”. Isso pode estar relacionado ao seu fator de impacto, seu comitê editorial ou se for respaldado por uma sociedade ou instituição respeitada. Acredita-se que estes fatores sejam importantes para contratações, promoções e solicitações de financiamento à pesquisa.

A importância do prestígio do periódico para o avanço na carreira dá aos pesquisadores um forte incentivo para publicar nos periódicos de maior qualidade que conseguirem. E como os periódicos de acesso aberto de maior qualidade estão associados a APCs mais elevadas, na verdade incentiva os autores a gastar mais em publicações.

Considerando que a publicação atualmente ocupa um componente relativamente pequeno de um projeto de pesquisa global (financiado), faz sentido que as APCs não detenham os autores. Um artigo científico leva meses ou até anos do tempo de um pesquisador, além de material de consumo e equipamentos. Quando os autores já gastaram dezenas ou centenas de milhares de dólares em um projeto, pagar uma APC de US$ 3.000, em vez de US$ 2.000 não aumenta muito o custo total. Para os autores com sorte o suficiente que têm acesso a contas institucionais ou agências de fomento para APCs, não é sequer um custo que eles precisam considerar. E se isso significa que o artigo aparecerá em um periódico de maior prestígio, vale a pena obter esta vantagem competitiva no próximo emprego ou na próxima solicitação de financiamento à pesquisa.

Publishers optam pelo ouro

O acesso aberto agora oferece aos publishers grandes oportunidades para aumentar sua base de receita. Tendo forçado vários consórcios de bibliotecas a cancelar ofertas de assinaturas, os orçamentos das bibliotecas estão esgotados e proporcionando pouco crescimento de receita. Conforme observado pelo Jisc [em seu relatório sobre APCs e assinaturas]3, isso lhes deu um incentivo para buscar receita adicional por meio de APCs. Os publishers sabem que têm apenas 1% dos orçamentos de pesquisa, o que lhes dá muito espaço para crescer. Com um portfólio de periódicos respeitados e estabelecidos, eles estão bem posicionados para expandir sua participação no financiamento de pesquisas aumentando o número e o tamanho das APCs que cobram.

Centralizar o poder com os principais publishers aumenta ainda mais seu poder de estabelecer preços. Os acordos e mandatos de acesso aberto têm a tendência de concentrar o poder nas mãos dos principais publishers estabelecidos, pois são capazes de fornecer aos financiadores e bibliotecas a capacidade de publicação para atender às necessidades dos autores. Isso pode facilitar as negociações, mas fortalece a posição dos publishers existentes e permite um comportamento de busca de receita à medida que eles publicam uma parcela cada vez maior da literatura.

Neste contexto, é difícil imaginar qualquer pressão descendente sobre as APCs. Revistas de baixo custo estão associadas a comportamento predatório, tornando os autores cada vez mais cautelosos com publishers e periódicos desconhecidos. Em um mercado onde taxas mais altas ajudam a indicar prestígio e legitimidade, o lucro de publishers comerciais e o carreirismo de autores está perversamente alinhado.

Para conhecimento público, use infraestrutura pública

O acesso aberto não está se desenvolvendo para o melhor interesse dos pesquisadores ou do público a quem eles servem. Em vez disso, fez o maior progresso no serviço de interesses comerciais, pois os publishers reconheceram que têm um enorme potencial para extrair rendimentos cada vez maiores dos orçamentos de pesquisa. Há uma infinidade de opções públicas de comunicação científica sem fins lucrativos, como publicação de bibliotecas e financiadores ou ferramentas gratuitas de publicação de código aberto. A menos que os financiadores e as instituições desejem infundir os lucros dos publishers com uma parcela crescente de financiamento para pesquisa, eles devem apoiar a infraestrutura pública e, mais importante, recompensar os pesquisadores que a utilizam.

Notas

1. Este post é baseado no artigo do autor Article Processing Charge Hyperinflation and Price Insensitivity: An Open Access Sequel to the Serials Crisis2, Publicado no Liber Quarterly.

2. KHOO, S.Y.-S. Article Processing Charge Hyperinflation and Price Insensitivity: An Open Access Sequel to the Serials Crisis. LIBER Quarterly [online]. 2019, vol. 29, no. 1, pp.1–18 [viewed 22 May 2019]. DOI: 10.18352/lq.10280. Available from: https://www.liberquarterly.eu/article/10.18352/lq.10280/

3. Article processing charges (APCs) and subscriptions [online]. Jisc. 2016 [viewed 6 June 2019]. Available from: https://www.jisc.ac.uk/reports/apcs-and-subscriptions

Referências

ARL Statistics Survey Statistical Trends [online]. Association of Research Libraries. 2016 [viewed 6 June 2019]. Available from: https://www.arl.org/arl-statistics-survey-statistical-trends/

Article processing charges (APCs) and subscriptions [online]. Jisc. 2016 [viewed 6 June 2019]. Available from: https://www.jisc.ac.uk/reports/apcs-and-subscriptions

BJÖRK, B.-C. AND SOLOMON, D. Article processing charges in OA journals: relationship between price and quality. Scientometrics [online]. 2015, vol. 103, no. 2, pp. 373-385 [viewed 6 June 2019]. DOI: 10.1007/s11192-015-1556-z. Available from: https://link.springer.com/article/10.1007%2Fs11192-015-1556-z

BREMBS, B. How Gold Open Access May Make Things Worse [online]. björn.brembs.blog, 2016 [viewed 6 June 2019]. Available from: http://bjoern.brembs.net/2016/04/how-gold-open-access-may-make-things-worse/

BREMBS, B. Libraries Are Better Than Corporate Publishers Because… [online]. björn.brembs.blog, 2013 [viewed 6 June 2019]. Available from: http://bjoern.brembs.net/2013/08/libraries-are-better-than-corporate-publishers-because/

CHAMBERS, A.H. How I became easy prey to a predatory publisher [online]. Science Careers. 2019 [viewed 6 June 2019]. Available from: https://www.sciencemag.org/careers/2019/05/how-i-became-easy-prey-predatory-publisher

GAIND, N. Huge US university cancels subscription with Elsevier. Nature [online]. 2019, vol. 567, no. 7746, pp. 15-16 [viewed 6 June 2019]. DOI: 10.1038/d41586-019-00758-x. Available from: https://www.nature.com/articles/d41586-019-00758-x

HOLMWOOD, J. The expansion of open access is being driven by commercialisation, where private benefit is adopting the mantle of public value [online]. LSE Impact Blog, 2018 [viewed 6 June 2019]. Available from: https://blogs.lse.ac.uk/impactofsocialsciences/2018/10/02/the-expansion-of-open-access-is-being-driven-by-commercialisation-where-private-benefit-is-adopting-the-mantle-of-public-value/

KHOO, S.Y.-S. Article Processing Charge Hyperinflation and Price Insensitivity: An Open Access Sequel to the Serials Crisis. LIBER Quarterly [online]. 2019, vol. 29, no. 1, pp.1–18 [viewed 22 May 2019]. DOI: 10.18352/lq.10280. Available from: https://www.liberquarterly.eu/article/10.18352/lq.10280/

LARIVIÈRE, V., HAUSTEIN, S. and MONGEON, P. The Oligopoly of Academic Publishers in the Digital Era. PLOS ONE [online]. 2015, vol. 10, no. 6, e0127502 [viewed 6 June 2019]. DOI: 10.1371/journal.pone.0127502. Available from: https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0127502

MCKIERNAN, E., ALPERIN, J.P. and FLEERACKERS, A. The “impact” of the Journal Impact Factor in the review, tenure, and promotion process [online]. LSE Impact Blog, 2019 [viewed 6 June 2019]. Available from: https://blogs.lse.ac.uk/impactofsocialsciences/2019/04/26/the-impact-of-the-journal-impact-factor-in-the-review-tenure-and-promotion-process/

NICHOLAS, D., et al. Early career researchers and their publishing and authorship practices. Learned Publishing [online]. 2017, vol. 30, no.3, pp. 205-2017 [viewed 6 June 2019]. DOI: 10.1002/leap.1102. Available from: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1002/leap.1102

PINFIELD, S. and JOHNSON, R. Adoption of open access is rising – but so too are its costs [online]. LSE Impact Blog, 2018 [viewed 6 June 2019]. Available from: https://blogs.lse.ac.uk/impactofsocialsciences/2018/01/22/adoption-of-open-access-is-rising-but-so-too-are-its-costs/

PINFIELD, S. Is scholarly publishing going from crisis to crisis? Learned Publishing [online]. 2013, vol. 26, no. 2, pp. 85-88 [viewed 6 June 2019]. DOI: 10.1087/20130204. Available from: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1087/20130204

POLLOCK, D. AND MICHAEL, A. Open access mythbusting: Testing two prevailing assumptions about the effects of open access adoption. Learned Publishing [online]. 2019, vol. 32, no. 1, pp. 7-12 [viewed 6 June 2019]. DOI: 10.1002/leap.1209. Available from: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1002/leap.1209

PRIEGO, E. Wellcome Trust’s Open Access spend 2012-13: Are fees charged by major publishers creating a new serials crisis? [online]. LSE Impact Blog, 2014 [viewed 6 June 2019]. Available from: https://blogs.lse.ac.uk/impactofsocialsciences/2014/03/24/wellcome-trust-apcs-serials-crisis/

ROPERS, D. The quest for more value – challenges of the scientific ecosystem in the absence of coordination: A Long Read [online]. Springboard Blog | Advancing Discovery, 2018 [viewed 6 June 2019]. Available from: https://www.springernature.com/gp/advancing-discovery/blog/blogposts/the-quest-for-more-value/16246530

ROSS-HELLAUER, T. and FECHER, B. Journal flipping or a public open access infrastructure? What kind of open access future do we want? [online]. LSE Impact Blog, 2017 [viewed 6 June 2019]. Available from: https://blogs.lse.ac.uk/impactofsocialsciences/2017/10/26/journal-flipping-or-a-public-open-access-infrastructure-what-kind-of-open-access-future-do-we-want/

ROSS-HELLAUER, T., SCHMIDT, B. and KRAMER, B. Funder open access platforms – a welcome innovation? [online]. LSE Impact Blog, 2018 [viewed 6 June 2019]. Available from: https://blogs.lse.ac.uk/impactofsocialsciences/2018/07/04/funder-open-access-platforms-a-welcome-innovation/

Scholarly Communication Toolkit: Economics of Publishing [online]. Association of College & Research Libraries. 2019 [viewed 6 June 2019]. Available from: http://acrl.libguides.com/scholcomm/toolkit/economics

SCHONFELD, R.C. Will Europe Lead a Global Flip to Open Access? [online]. The Scholarly Kitchen, 2018 [viewed 6 June 2019]. Available from: https://scholarlykitchen.sspnet.org/2018/06/26/will-europe-lead-open-access/

SHAMSEER, L, et al. Potential predatory and legitimate biomedical journals: can you tell the difference? A cross-sectional comparison. BMC Medicine [online]. 2017, vol. 15, no. 1 [viewed 6 June 2019]. DOI: 10.1186/s12916-017-0785-9. Available from: https://bmcmedicine.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12916-017-0785-9

WIJEWICKREMA, M. and PETRAS, V. Journal selection criteria in an open access environment: A comparison between the medicine and social sciences. Learned Publishing [online]. 2017, vol. 30, no. 4, pp. 289-300 [viewed 6 June 2019]. DOI: 10.1002/leap.1113. Available from: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1002/leap.1113

Links externos

Public Knowledge Project <https://pkp.sfu.ca/>

Serials Crisis <https://en.wikipedia.org/wiki/Serials_crisis>

Shaun Yon-Seng Khoo <https://orcid.org/0000-0002-0972-3788>

 

Sobre Shaun Khoo

Shaun Khoo é pós-doutorando na Université de Montréal, onde estuda a neurociência da dependência usando modelos comportamentais de roedores. Ele também é presidente fundador da Episteme Health Inc., uma associação de cientistas que visa fornecer publicações gratuitas para neurocientistas. Seu Orcid é https://orcid.org/0000-0002-0972-3788.

 

Artigo original em inglês

https://blogs.lse.ac.uk/impactofsocialsciences/2019/06/04/the-gold-rush-why-open-access-will-boost-publisher-profits/

 

Traduzido do original em inglês por Lilian Nassi-Calò

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

KHOO, S. A corrida do ouro: Por que o acesso aberto aumentará o lucro dos publishers [Publicado originalmente no blog LSE Impact of Social Sciences em junho/2019] [online]. SciELO em Perspectiva, 2019 [viewed ]. Available from: https://blog.scielo.org/blog/2019/06/06/a-corrida-do-ouro/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Post Navigation