Programa Científico da Conferência SciELO 15 Anos

A três meses do início da Conferência SciELO 15 Anos, o programa científico está neste momento na  fase dos acertos finais de elaboração. Os painéis temáticos estão estruturados, e quase todos os conferencistas confirmados. Os títulos finais e os resumos das conferências estão em processo de definição, com versões nos  três idiomas da conferência – espanhol, português e inglês.

Programa da Conferência SciELO 15 Anos.

Programa da Conferência SciELO 15 Anos.

A conferência SciELO 15 anos tratará de dimensões e aspectos da comunicação científica contemporânea que estão moldando os meios e formas que a pesquisa científica será comunicada no futuro. Com uma visão global da pesquisa científica, o programa da conferência procura situar análises e debates sobre a comunicação científica com vistas a superar a visão de centro e periferia, ou ainda da divisão da literatura científica em corrente principal e regional, cujas concepções muitas vezes embutem percepções e valores contraditórios ou limitantes para uma visão global da comunicação científica. Esta visão global é crucial para o avanço do conjunto da pesquisa científica dos países em desenvolvimento ou emergentes e, sobretudo, no referente a seus periódicos. Mas, no final de contas, será importante para o avanço da pesquisa mundial.

Políticas públicas de fomento à pesquisa e à comunicação científica que consideram o conjunto das pesquisas assim como o conjunto dos meios de comunicação são determinantes para que o ciclo global de informação científica incorpore e valorize apropriadamente os periódicos científicos editados nos países em desenvolvimento ou emergentes.

O painel de abertura da conferência internacional, no dia 23 de outubro de manhã, estará dedicado à análise de como políticas e programas de fomento à pesquisa e comunicação científica tratam esse desafio na África do Sul, no Brasil e na China.

Uma revisão das políticas nacionais de apoio aos periódicos dos países da Rede SciELO será apresentada no painel Gestão Editorial de Periódicos – Estado da Arte, Tendências e Inovações, no dia 25 de outubro, no período da tarde.

No contexto das políticas de fomento, o progresso da pesquisa científica avança sob o controle de sistemas de avaliação de mérito, desempenho e produtividade, que estão baseados em geral no concurso de pares e de comitês de pares assim como de indicadores e análises bibliométricas e cientómétricas.

Esses sistemas de avaliação têm influência direta no ranking de grupos de pesquisa, projetos, instituições e países.  Em consequência, na comunicação dos resultados das suas pesquisas, os pesquisadores e suas instituições são diretamente influenciados por esses sistemas, muitas vezes questionados pela aplicação generalizada de indicadores bibliométricos que medem o impacto dos estudos baseados principalmente nas citações que recebem ou nos periódicos em que são publicados. Uma questão central nesses sistemas de avaliação é a medida da qualidade da pesquisa e a sua relação com a qualidade dos periódicos em que os resultados são publicados.

A cienciometria, suas teorias e técnicas, enquanto resposta à questão da medida da qualidade da pesquisa e dos periódicos, será tratada no painel do dia 24 de manhã, com foco nos questionamentos das metodologias clássicas e na contribuição das novas abordagens e técnicas.

O acesso aberto é outro tema destacado e que deverá permear todo programa da conferência. Nos países que adotaram o modelo SciELO, a publicação da maioria dos periódicos de qualidade é realizada em acesso aberto. Particularmente, na América Latina, o acesso aberto vem se consolidando como meio de publicação dos periódicos editados por sociedades científicas e instituições nacionais de educação e pesquisa. Tal tendência deverá prevalecer, não obstante o retrocesso de alguns poucos periódicos que optaram pela publicação com acesso por assinatura por meio de publishers comerciais. O programa da conferência dedica um painel à análise do estado atual e de tendências do movimento internacional de acesso aberto. O avanço do movimento de acesso aberto internacional contribui para reconhecer o pioneirismo do Programa SciELO e apoiar o seu desenvolvimento futuro.

Aliada ao avanço do acesso aberto, a comunicação científica vem se enriquecendo com inovações e soluções centradas no fortalecimento da participação proativa dos pesquisadores na gestão de conteúdos relacionados com suas pesquisas e áreas de interesse, na democratização do acesso e no intercâmbio de informação com seus pares, por meio de serviços e plataformas de redes sociais. No dia 23, à tarde, o programa da conferência tem um painel dedicado à análise dessas tendências e inovações, incluindo as funções de redes sociais como Academia.edu, Mendeley, ResearchGate, etc., a dominância e as perspectivas do Google como plataforma mais popular de busca de conteúdos e a emergência dos mega periódicos (megajournals) e de pool de periódicos.

Um dos principais objetivos da Conferência SciELO 15 Anos, ao promover a análise e o debate dos temas que permeiam o desenvolvimento internacional da comunicação científica, é contribuir para sua contextualização em prol do  avanço dos periódicos editados nos países em desenvolvimento ou emergentes e mais especialmente para o Programa e a Rede SciELO.

Para tanto, os principais desafios que enfrentam os editores científicos desses periódicos, como a profissionalização da gestão editorial, a internacionalização dos conselhos editoriais, dos processos de avaliação de manuscritos, o multilinguismo e maior publicação de artigos de autores estrangeiros, a inserção nas redes sociais assim como o aperfeiçoamento da sustentabilidade financeira, serão tratados em um painel diário que terá lugar no final da tarde dos três dias da conferência. O painel promoverá o diálogo com editores de periódicos SciELO sobre o posicionamento diante destes desafios e do estado da arte e de tendências da gestão editorial.

Nesse sentido, o programa acrescenta no dia 25 de outubro um painel dedicado à gestão de coleções de periódicos nacionais, que, além da Rede SciELO, contempla análises das soluções do Canadá, da China e do Japão.

Também, relacionado com o avanço da gestão dos periódicos, o programa terá uma sessão dedicada à apresentação de soluções, produtos e serviços de editoração, publicação e avaliação de periódicos.

Mark Petterson

Mark Patterson

As principais questões levantadas pelo programa científico influíram na escolha de Mark Patterson para proferir a conferência de abertura. Ele foi pesquisador em genética por 12 anos antes de assumir em 1994 o cargo de Editor do Trends in Genetics. Na Nature participou do lançamento dos periódicos Nature Reviews. Em 2003 mudou-se para a PLOS, onde como Diretor de Publicação contribuiu para o lançamento de vários dos periódicos PLOS. Foi um dos fundadores da Open Access Scholarly Publishers Association. Atualmente, Marks Petterson é o Diretor Executivo do eLife, um periódico em acesso aberto que está em processo de construção com o objetivo de publicar “avanços marcantes em ciências da vida e biomedicina”, sem custos para os seus autores. O eLife é financiado pela parceria entre o Howard Hughes Medical Institute, o Max Planck Society e o  Wellcome Trust.

Certamente, os fundamentos e desafios que emergem da proposta do eLife, no sentido de  estabelecer as fundações do futuro da comunicação científica, é um bom começo para o programa da Conferência SciELO 15 Anos.

Equipe Editorial

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

SCIENTIFIC ELECTRONIC LIBRARY ONLINE. Programa Científico da Conferência SciELO 15 Anos [online]. SciELO em Perspectiva, 2013 [viewed ]. Available from: http://blog.scielo.org/blog/2013/08/01/programa-cientifico-da-conferencia-scielo-15-anos/

 

One Thought on “Programa Científico da Conferência SciELO 15 Anos

  1. É alentador ver como SciELO neste seu aniversario esta mostrando importante avanços na sua visão e posicionamento em relação a produção cientifica, neste momento crítico de transição para uma Era do Conhecimento Aberto e Compartilhado, que sem dúvida são essências para inclusão e novos focos da atividade cientifica no e para o Brasil.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation