O que é o declínio dos periódicos de Elite?

Are elite journals declining?¹ é o título provocativo com que acaba de ser publicado em abril passado um artigo no Journal of the Association for Information Science and Technology (JASIST), 65(4): 649-55, por Vincent Larivière, George A. Lozano, e Yves Gingras, da Université de Montréal, Canadá. O artigo foi publicado previamente em acesso aberto no repositório arXiv.org, em novembro de 2013.

Para os leitores de SciELO em Perspectiva Vincent Larivière é um nome familiar, já que participou na Conferencia SciELO 15 Anos com uma apresentação, e também foi publicada uma entrevista² sua em SciELO em Perspectiva em agosto do ano passado.

Vejamos o que entendem Larivière e seus colegas pelo conceito de “declínio dos periódicos de elite e então apresentaremos algumas opiniões que foram ouvidas nas semanas seguintes pelos pesquisadores que discutem no blog de ResearchGate.

Larivière indica que as revistas tradicionais de elite vêm crescendo em importância ao longo das últimas décadas, em particular nos últimos 20 anos. Para que um artigo publicado se encontre no seleto grupo dos 5% mais citados é necessário que este artigo obtenha o dobro de citações do que eram necessárias 40 anos atrás. Entretanto, porém, apesar de que os periódicos de elite desde os anos ‘90s cresceram em quantidade de artigos, estes periódicos de elite cada vez publicam menor percentual do que este seleto grupo de 5%, especialmente os periódicos Nature e Science.

O surgimento da publicação na Internet deslocou a ênfase do periódico científico em direção ao artigo individual, pois a relação entre o fator de impacto dos periódicos e as citações aos trabalhos que nelas são publicados foi sendo progressivamente debilitado nos últimos 20 anos. Isso surge de uma análise feita pelo grupo de Larivière com 29 milhões de artigos e 800 milhões de citações de 1970 a 2012 provenientes da WoS.

Entre vários resultados deste experimento destacam-se que os sete periódicos considerados de elite (Cell, Journal of the American Medical Association, Lancet, Nature, New England Journal of Medicine, Proceedings of the National Academy of Science, e Science), se bem que tenham crescido em quantidade de artigos publicados, a proporção do total dos mais citados é menor que há 20 anos atrás. A conclusão é que a literatura mais importante hoje em dia é publicada em um leque cada vez maior de fontes. A idade digital fez com que os autores sejam mais independentes que suas revistas.

Esta situação não escapou à vista dos grupos editoriais importantes, como o Nature Publishing Group (NPG), que em vez de tentar expandir seus periódicos de elite, começaram a criar periódicos especializados ou temáticos sob a mesma marca geral.

O artigo de Vincent Larivière e colegas da Universidade de Montrèal, publicado no JASIST apresenta dois temas interessantes que merecem análises separadamente.

O primeiro, do qual se falou menos, porém do ponto de vista da cienciometria é importante, é que a “ascensão social” de um artigo/autor medido pela quantidade de citações que recebe, agora requer mais esforço e mais tempo, porque para chegar ao desejado “top 5%” é necessário acumular o dobro de citações do que se requeria nas décadas anteriores.

O segundo tema, e que suscitou a maioria dos comentários e controvérsias, é sobre o suposto declínio do oligopólio internacional que manteve desde sempre os chamados periódicos de elite.

Quando o artigo foi publicado como pre-print em arXiv.org, já havia gerado alguns comentários³. Porém, tão logo o artigo foi publicado no JASIST, teve início um debate no blog do ResearchGate⁴, que desde final de março se prolongou por semanas, onde participaram pesquisadores de universidades de vários países, entre eles Rússia, República Checa, França e Estados Unidos. Se você está registrado em ResearchGate, recomendamos que leia o debate.

Porém, o mais importante: qual é sua opinião, os periódicos de elite estão em declínio?

O convidamos a compartilhar suas opiniões na sessão Comentários abaixo.

Notas

¹ LARIVIÈRE, V., LOZANO, G.A., and GINGRAS, Y. Are elite journals declining? Article first published online: 19 Nov. 2013. Available from: http://arxiv.org/ftp/arxiv/papers/1304/1304.6460.pdf

² Entrevista com Vincent Larivière. SciELO em Perspectiva. [viewed 12 May 2014]. Available from: http://blog.scielo.org/blog/2013/08/16/entrevista-com-vincent-lariviere/

³ Larivière, V. Study reveals declining influence of high impact factor journals. Phys.org. 7 November 2012. Available from: http://phys.org/news/2012-11-reveals-declining-high-impact-factor.html

⁴ Question: Do elite research journals get devaluated in the Internet age?

https://www.researchgate.net/post/Do_elite_research_journals_get_devalued_in_the_Internet_age?pli=1&loginT=gw-UF5Fhp9sOD7TBg7fqjVk37XstnhCmCstJ8mUKKGo*&cp=re221_d1m_p32&ch=reg

Link externo

Research Gate – http://www.researchgate.net

 

spinakSobre Ernesto Spinak

Colaborador do SciELO, engenheiro de Sistemas e licenciado en Biblioteconomia, com diploma de Estudos Avançados pela Universitat Oberta de Catalunya e Mestre em “Sociedad de la Información” pela  Universidad Oberta de Catalunya, Barcelona – Espanha. Atualmente tem uma empresa de consultoria que atende a 14 instituições do governo e universidades do Uruguai com projetos de informação.

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

SPINAK, E. O que é o declínio dos periódicos de Elite? [online]. SciELO em Perspectiva, 2014 [viewed ]. Available from: http://blog.scielo.org/blog/2014/05/28/o-que-e-o-declinio-dos-periodicos-de-elite/

 

One Thought on “O que é o declínio dos periódicos de Elite?

  1. Qualis sob suspeita*
    Luis Vieira

    Introdução

    No final da década de oitenta apareceram os primeiros periódicos on-line no sistema Open Access. Diante do alto custo das assinaturas dos periódicos impressos, a novidade foi muito bem recebida e difundiu-se rapidamente em todo o mundo. No Directory of Open Access Journal (DOAJ) há mais de 9000 periódicos cadastrados. No Brasil a iniciativa conjunta da FAPESP com o CNPq deu origem à Scientific Eletronic Library on Line (SCIELO) que abrange mais de 300 periódicos com acesso livre.

    Na maioria das vezes, o sistema Open Access é visto com reserva pela comunidade científica tradicional e pelas grandes editoras. O principal motivo é a cobrança de taxa para publicação, disfarçada em taxa de processamento do manuscrito, em geral variando de $ 200 USD até $ 1000 USD. O conflito de interesses sempre vai suscitar dúvidas quanto à qualidade dos artigos publicados. Fator de contratação de novos professores ou pesquisadores e também promoção na carreira acadêmica, a publicação de artigos passou a ser alvo de práticas questionáveis. Existem muitos periódicos, com credibilidade conquistada durante décadas, que estão disponíveis para publicar e que nunca cobraram taxa do autor.

    Periódicos Questionáveis

    Entre Janeiro e Junho de 2013, John Bohannon, pesquisador e contribuinte da Science, submeteu 304 manuscritos de pesquisa com erros óbvios para serem rejeitados imediatamente por qualquer periódico. O texto completo de John Bohannon, cujo título é “Who’s Afraid of Peer Review?” está disponível no website da Science. O texto simplificado, que inclue um mapa interativo, também está disponível no website da Science. O mapa mostra quais periódicos aceitaram ou rejeitaram os manuscritos, juntamente com as trocas de mensagens que levaram a esses resultados. Para os periódicos questionáveis que aceitaram publicar o manuscrito, a troca de mensagens comprova que houve pouca ou mesmo nenhuma revisão. Levantamento no WebQualis em 20/Jun/2014 encontrou 30 periódicos que aceitaram um manuscrito com erros óbvios. Entre os periódicos, os seguintes merecem destaque pela alta classificação no Qualis: (1) Bioinformation, classificado como B2 em Medicina I. (2) Drug Design, Development and Therapy, classificado como A2 em Medicina I. (3) Genetics and Molecular Research, classificado como B2 em Medicina I.

    Journal of Biology and Life Science
    Open Journal of Radiology
    European International Journal of Science and Technology
    Bioinformation
    International Journal of Drug Discovery
    Drug Design, Development and Therapy
    European Journal of Scientific Research
    Global Advanced Research Journal of Medicine and Medical Sciences
    Asian Journal of Biomedical and Pharmaceutical Sciences
    Journal of Agricultural and Biological Science
    International Journal of Current Research
    Scholarly Journal of Medicine
    Journal of Life Sciences
    International Journal of Pharma and Bio Sciences
    International Journal of Medicinal and Aromatic Plants
    Agricultural Science Research Journal
    International Journal of Pharmaceutical Sciences Review and Research
    Genetics and Molecular Research
    International Transaction Journal of Engineering, Management, & Applied Sciences & Technologies
    International Journal of Applied Science and Technology
    Journal of Biotechnology and Pharmaceutical Research
    International Journal of Basic & Applied Sciences
    Journal of Chemical and Pharmaceutical Research
    Journal of Applied Pharmaceutical Science
    Australian Journal of Basic and Applied Sciences
    Biology and Medicine
    Journal of Natural Pharmaceuticals
    Hygeia – Revista Brasileira de Geografia Medica e da Saude
    International Journal of Science and Advanced Technology
    Macedonian Journal of Medical Sciences

    Uma lista de periódicos, editoras e métricas questionáveis, mantida e atualizada por Jeffrey Beall, professor associado da Universidade do Colorado, está disponível no website Scholarly Open Access. A questão da métrica é motivo para discussão, pois o fator de impacto associado a um periódico agrega importância ao artigo ali publicado. Ocorre que hoje há diversas instituições que calculam esse fator de forma questionável, como mostrado pelo citado professor. Um dos casos escandalosos é o Archives of Biological Sciences, que
    aceitou um manuscrito em 24 horas, sem revisão alguma, por $ 1875 Euros. Outro é o International Journal of Engineering Research and Applications, que alega ter recebido um prêmio do JourRank- uma instituição que nem sequer existe.

    No Brasil, a classificação de periódicos pelo sistema Qualis tem um impacto na avaliação de professores, pesquisadores, programas de pós-graduação e pedidos de auxílio monetário. Erros nessa base de dados podem ter impactos negativos sobre a produção científica brasileira que vem caracterizando-se mais pela quantidade, do que pela qualidade, e assim mesmo em níveis inferiores a países como Espanha, Índia e Coreia do Sul. Levantamento no WebQualis em 20/Jun/2014 encontrou 47 periódicos que satisfazem os critérios para periódicos questionáveis.

    Academic Exchange Quarterly
    American International Journal of Contemporary Research
    Archives of Biological Sciences
    Asian Journal of Biomedical and Pharmaceutical Sciences
    Asian Journal of Business and Management Sciences
    Australian Journal of Basic and Applied Sciences
    Bioinformation
    Bioresearch Bulletin
    European Journal of Business and Social Sciences
    European Journal of Scientific Research
    Frontiers in Aerospace Engineering
    Interdisciplinary Journal of Research in Business
    International Journal of Agriculture and Crop Sciences
    International Journal of Biomedical Science
    International Journal of Business and Commerce
    International Journal of Communication Networks and Information Security
    International Journal of Computer Applications
    International Journal of Computer Science and Information Security
    International Journal of Computer Science and Information Technologies
    International Journal of Computer Science and Network Security
    International Journal of Computer Science Issues
    International Journal of Current Research
    International Journal of Economics and Research
    International Journal of Energy & Technology
    International Journal of Engineering Research and Applications
    International Journal of Engineering Research and Development
    International Journal of Engineering Science & Advanced Technology
    International Journal of Engineering Science and Technology
    International Journal of Modern Engineering Research
    International Journal of Pharmaceutical and Biomedical Research
    International Journal of Pharmaceutical Sciences and Drug Research
    International Journal of Pharma and Bio Sciences
    International Journal of Plant, Animal and Environmental Sciences
    International Journal of Sciences
    International Journal of Science and Advanced Technology
    International Journal of Scientific and Engineering Research
    International Refereed Journal of Engineering and Science
    International Review of Social Sciences and Humanities
    Journal of Animal and Plant Sciences
    Journal of Applied Pharmaceutical Science
    Journal of Basic and Clinical Pharmacy
    Journal of Environmental Hydrology
    Pharmacologia
    Researchers World journal of arts science and commerce
    Review of Research
    The Modern Journal of Applied Linguistics
    World Applied Sciences Journal

    Critérios

    A lista de periódicos questionáveis do professor Jeffrey Beall baseia-se nos seguintes critérios extraídos dos códigos de conduta da Open Access Scholarly Publishers Association, do Committee on Publication Ethics e da International Association of Scientific, Technical & Medical Publishers.

    O dono da editora é identificado como o editor de todos os periódicos publicados pela organização.
    Nenhum indivíduo é identificado como editor do periódico.
    O periódico não identifica um conselho editorial ou de revisores formais.
    Nenhuma informação acadêmica é fornecida a respeito do editor, corpo editorial e/ou membros do conselho de revisores (por exemplo, afiliação institucional).
    Existem dados evidentes mostrando que o editor e/ou membros do conselho de revisores não possuem experiência acadêmica para qualificá-los razoavelmente como guardiões de publicação no campo da revista.
    Dois ou mais periódicos têm conselhos editoriais duplicadas (ou seja, o mesmo conselho editorial para mais de um periódico).
    Os periódicos têm um número insuficiente de conselheiros, conselhos editoriais inventados, inclusive nomes, incluem estudiosos em um conselho editorial, sem seu conhecimento ou permissão, têm membros do conselho que são pesquisadores proeminentes, mas isentá-os de quaisquer contribuições para a revista, exceto o utilização de seus nomes e/ou fotografias.

    A lista de editoras questionáveis do professor Jeffrey Beall baseia-se nos seguintes critérios extraídos dos códigos de conduta da Open Access Scholarly Publishers Association, do Committee on Publication Ethics e da International Association of Scientific, Technical & Medical Publishers.

    A editora demonstra uma falta de transparência nas operações de publicação.
    A editora não tem políticas ou práticas para a preservação digital.
    A editora depende de taxas do autor como único e somente meio de operação, sem alternativa de plano de negócios de longo prazo para sustentar a revista através de outras fontes de renda.
    A editora começa a operar com um grande número de periódicos, muitas vezes utilizando um modelo para criar rapidamente website para cada periódico.
    A editora fornece informações insuficientes ou oculta informações sobre taxas do autor, oferecendo-se para publicar o manuscrito. Depois envia uma cobrança não revelada anteriormente.
    O nome de um periódico é incongruente com a missão da periódico.
    O nome de um periódico não reflete adequadamente a sua origem (por exemplo, um periódico com a palavra Canadense ou Suiço em seu nome que não tem nenhuma relação significativa com o Canadá ou Suíça).
    A revista falsamente alega ter um fator de impacto, ou usa algum medida inventada (por exemplo, fator de visão), fingindo posição internacional.
    A editora envia mensagens não solicitadas (spam) requisitando comentários de pessoas não qualificadas para a revisão de manuscritos submetidos.
    A editora falsamente alega ter seu conteúdo indexado nos serviços de Resumos e Indexação legítimos ou afirma que o seu conteúdo é indexado em recursos que não são serviços de Resumo e Indexação.
    A editora dedica recursos insuficientes para prevenir e eliminar má conduta do autor, na medida em que o periódico ou periódicos sofrem de repetidos casos de plágio, a auto-plágio, manipulação de imagem, e coisas semelhantes.
    A editora pede ao autor correspondente sugerir os revisores e a editora posteriormente utiliza os revisores sugeridos sem examinar suficientemente as suas qualificações ou autenticidade. Este protocolo também pode permitir aos autores criar identidades on-line falsas, a fim de rever os seus próprios manuscritos.

    A David Publishing pode ser tomada como exemplo de editora questionável. Basta fazer uma busca avançada no Google (scam OR fraud “David Publishing”) e serão encontrados muitos websites alertando que a editora é um embuste (scam) ou uma fraude (fraud). Muitos dos periódicos dessa editora estão listados no Qualis.

    Conclusão

    A base Qualis lista e qualifica os periódicos que serão considerados nos relatórios e currículos dos pesquisadores. Em virtude da limitação e concentração de recursos, há hoje uma dura competição entre pares pela aprovação de seus projetos. Por esse motivo, não deve pairar nenhuma dúvida sobre os periódicos listados pela CAPES, pois periódicos questionáveis podem levar a favorecimentos indevidos e à perda de qualidade da produção científica nacional. Cabe, portanto, um posicionamento claro da CAPES a esse respeito, justificando a permanência ou não desses periódicos em sua base.

    * Agradecimentos ao professor Vinicius Arcaro (UNICAMP) pelas informações e discussão.

    Comentários

    Na lista Publishers de Jeffrey Beal há mais periódicos que são considerados questionáveis, no texto acima foram relacionados as ocorrências da lista – Stand Alone, a outra lista – Publishers também inclui periódicos questionáveis e que se encontram referenciados na base Qualis. L.V e V.A.

    David Publishing

    Chinese Business Review1537-1506
    Computer Technology and Application1934-7332
    Journal of Agricultural Science and Technology A2161-6256
    Journal of Agricultural Science and Technology B2161-6264
    Journal of Agricultural Science and Technology1939-1250
    Journal of Chemistry and Chemical Engineering1934-7375
    Journal of Civil Engineering and Architecture1934-7367
    Journal of Communication and Computer1548-7709
    Journal of Energy and Power Engineering1934-8975
    Journal of Environmental Science and Engineering2162-5263
    Journal of Food Science and Engineering2159-5828
    Journal of Food Science and Engineering2164-5795
    Journal of Life Sciences1934-7391
    Journal of Materials Science and Engineering A2161-6213
    Journal of Materials Science and Engineering B2161-6221
    Journal of Materials Science and Engineering1934-8959
    Journal of Mathematics and System Science2159-5291
    Journal of Mechanics Engineering and Automation2159-5275
    Journal of Modern Accounting and Auditing1548-6583
    Journal of Physical Science and Application2159-5348
    Journal of Shipping and Ocean Engineering2159-5887
    Journal of US-China Medical Science1548-6648
    Journal of US-China Public Administration1548-6591
    Journal of US-China Public Administration1935-9691
    Journalism and Mass Communication2160-6579
    Sociology Study2159-5526
    US-China Education Review A1548-6613

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation