Como será a avaliação por pares em 2030?

Apesar de a literatura científica sempre ter sido revisada antes de ser publicada, as formas atuais de revisão por pares têm somente poucas décadas de existência e já, desde o princípio, estiveram sujeitas a críticas e limitações. A revisão aberta e os servidores de preprints surgiram nos últimos anos como possíveis soluções em um mundo de comunicação crescente na pesquisa científica. Revisões abertas, inteligência artificial, revisões colaborativas e na “nuvem”… como será a avaliação por pares em 2030? Read More →

Ética editorial – outros tipos de plágio… e contando

O plágio e as fraude se multiplicam em variadas formas. Recentemente têm aparecido dois tipos menos frequentes – o plágio acidental e o plágio pelos pareceristas. De qualquer maneira, o plágio é uma violação ética que erode a confiança do público e que temos que impedir. Read More →

O papel dos editores na avaliação por pares: como identificar maus pareceristas

Um modelo teórico de avaliação por pares avalia os efeitos que pareceristas de conduta antiética tem na aprovação e rejeição de artigos e como os editores de periódicos podem mitigar este comportamento. O que está em jogo é a confiabilidade, transparência e eficiência da avaliação por pares pré-publicação. Read More →

SciELO 20 Anos – 26-28 Setembro 2018

A comemoração dos 20 anos do SciELO compreenderá uma série de eventos relacionados com a avaliação do desempenho do SciELO como modelo diferenciado de publicação em acesso aberto. Os eventos culminarão com uma conferência internacional que se projeta como um fórum marcante de discussão das inovações da comunicação científica alinhada com as práticas de ciência aberta. Read More →

A miopia dos indicadores bibliométricos

A utilização de indicadores bibliométricos para avaliação da ciência é uma prática ubíqua, a despeito de não existir uma relação inequívoca entre citações e qualidade, impacto ou mérito científico. Um recente estudo estabelece que o uso indiscriminado destes indicadores pode dificultar a publicação de resultados inovadores de pesquisa, retardando o desenvolvimento da ciência. Read More →

Como encontrar artigos em acesso aberto – dicas do meu nerd favorito

A comunicação acadêmica disponível online, seja em periódicos ou em repositórios, soma milhões e esta cifra cresce a cada ano. De quais ferramentas eficientes, via navegadores, dispõem os pesquisadores, bibliotecários, estudantes e outros para localizar as versões em acesso aberto dos trabalhos que lhes interessam? Read More →

Propostas de financiamento a pesquisa enviadas ao NIH podem citar preprints

O uso de preprints como meio de acelerar a comunicação das pesquisas vem se tornando uma prática frequente em muitas áreas do conhecimento, também como forma de aperfeiçoar o processo de avaliação por pares. Os National Institutes of Health, renomada instituição norte-americana de pesquisa e agência de fomento anunciou recentemente que propostas de financiamento e relatórios estão autorizados a citar preprints “para acelerar a disseminação e aumentar o rigor de seu trabalho”. Read More →

Persistem as disparidades de gênero na ciência a despeito dos significativos avanços

A participação de mulheres como autores em publicações acadêmicas vem aumentando significativamente em todo o mundo e em todas as áreas do conhecimento, chegando a 49% no Brasil e Portugal, seguido da Austrália (44%) e União Europeia (41%). A equidade de gênero na ciência, entretanto, ainda tem um longo caminho a percorrer, especialmente nas funções de editoração e avaliação por pares. Um estudo realizado com mais de 41 mil artigos entre 2007 e 2015 mostra que editores do gênero masculino – que são maioria – selecionam preferencialmente pareceristas do mesmo gênero. Read More →

Abertura é a única qualidade de um artigo científico que pode ser objetivamente aferida

A qualidade de um artigo de pesquisa científica é uma preocupação muito difundida no meio acadêmico. O proxy mais utilizado se baseia em contagens de citações, não do próprio artigo, mas da média dos artigos que aparecem no mesmo periódico durante um determinado intervalo de tempo. Isso é conhecido como o Fator de Impacto do periódico, que pode ser objetivo dentro de sua própria definição, mas é totalmente desprovido de objetividade em relação à qualidade científica de artigos individuais. Somente algumas qualidades técnicas dos artigos podem ser avaliadas no momento de sua publicação e, significativamente, sua abertura, o grau em que os resultados da pesquisa que descrevem, podem ser imediatamente e universalmente compartilhados. Read More →

Editores de periódicos brasileiros – uma vida dura que está ficando ainda mais difícil! [Publicado originalmente no editorial do vol. 89 no. 1 nos Anais da Academia Brasileira de Ciências]

O financiamento dos periódicos do Brasil poderá aperfeiçoar-se com a extensão do prazo de vigência dos auxílios a pesquisa, de forma a permitir aos editores um melhor planejamento da publicação dos artigos. Um editorial da autoria de Alexander Kellner no primeiro número de 2017 dos Anais da Academia Brasileira de Ciências analisa o desafio enfrentado pelos editores de periódicos no Brasil e ressalta seu trabalho árduo para atrair manuscritos relevantes, buscando atingir níveis de excelência e internacionalização cada vez maiores. Read More →

Resumos de pesquisa em linguagem simples: algo para todos [Originalmente publicado no eLife]

Mais de 50 periódicos e organizações científicas produzem uma ampla variedade de resumos em linguagem simples que estão disponíveis para trabalhos de pesquisa em muitas áreas diferentes da ciência e da medicina. Os resumos em linguagem simples podem ajudar aos periódicos de ciências biomédicas a chegar aos pacientes e a outras pessoas que podem se beneficiar da pesquisa. Esta diversidade significa que sempre haverá algo disponível para todos aqueles interessados na ciência, independentemente de sua formação científica. Read More →

Estamos no Radar do GSM?

O Google Scholar Metrics (GSM) oferece métricas alternativas ao Fator de Impacto JCR e ao SJR, a saber, o índice h-5. Para ingressar neste ranking mundial que cobre mais de 40.000 periódicos é necessário somente publicar uma média de 20 artigos por ano e ser citado. Entretanto, existem centenas de periódicos (nossos periódicos) que não estão sendo indexados no GSM. Estão fora do Radar. Read More →

Eu escrevi isso… eu não escrevi isso… agora escrevo outra coisa…

O sistema emergente da comunicação científica online incorpora um enfoque tecnológico e ideologicamente diferente do tradicional, onde os artigos surgem inicialmente como versões em preprints e vão sendo modificados até chegar à versão final. Em caso de erros, estas mesmas tecnologias dão oportunidades eficientes para realizar correções parciais, totais e inclusive retratações, associando ao caminho de um documento a história de suas versões. É hora, portanto, de estabelecer metodologias que permitam obter o máximo de informação mais atualizada para apoiar os empreendimentos científicos. Read More →

Internacionalização como indicador de desempenho de periódicos do Brasil: o caso da psicologia

O caminho para o fortalecimento das publicações científicas passa quase sempre por sua internacionalização. Publicar em inglês, entretanto, não é suficiente para atingir uma audiência realmente global e índices comparáveis aos periódicos de maior prestígio. Um estudo sobre o grau de internacionalização de periódicos de psicologia do Brasil mostra como se pode trilhar este caminho. Read More →

In memoriam: Eugene Garfield – 1925-2017

O pai da Cienciometria faleceu aos 91 anos em 27 de fevereiro de 2017, deixando uma produção de mais de 1.000 trabalhos e comunicações ao longo de 60 anos de pesquisa. Read More →