Tag: Avaliação Da Ciência

Teses e dissertações: prós e contras dos formatos tradicional e alternativo

Com o intuito de agilizar a redação e avaliação da tese, instituições e programas de pós-graduação de vários países, inclusive do Brasil, estão optando por permitir que os candidatos que têm artigos publicados decorrentes da pesquisa do mestrado ou doutorado, substituam a redação dos capítulos da tese por estes artigos, encabeçados por uma introdução, conclusão e revisão da literatura científica. Seria este formato ideal e aplicável a todos? Read More →

Sobre a rejeição imediata de manuscritos sem pareceres externos

Nem todos os textos recebidos pelas revistas científicas são enviados para avaliação externa. O processo de arbitragem no sistema duplo cego implica em um passivo elevado para editores e pareceristas, e o ônus desse processo acaba se exprimindo nos longos prazos do processo de avaliação, com efeitos diretos sobre autores (que esperam muito tempo para ter um veredicto) e sobre os leitores (que podem ter acesso a dados defasados). Nós aproveitamos alguns dados sobre o nosso desempenho na Revista de Sociologia e Política para refletir sobre as vantagens e os prejuízos de rejeitar artigos originais com base em análise preliminar pelos editores (avaliação em desk review), sem pareceres emitidos por revisores externos ao comitê editorial. Read More →

Instruções aos autores de periódicos em saúde: o que comunicam?

As instruções aos autores (IaA) supostamente contém toda informação necessária e suficiente para orientar a submissão correta de um artigo a um periódico. A realidade, entretanto, mostra uma enorme diversidade de conteúdos que nem sempre cumprem seu papel. Analisamos aqui as instruções de periódicos em ciências da saúde do SciELO Brasil, bem como relatos da literatura sobre o tema. Read More →

Como o Acesso Aberto pode impulsionar a carreira de pesquisadores

A completa adoção do acesso aberto ainda não foi atingida principalmente porque pesquisadores ainda não estão totalmente convencidos de que esta modalidade de publicação irá fazer por suas carreiras o mesmo que os periódicos de acesso pago. Um detalhado artigo de revisão publicado no eLife mostra que a pesquisa aberta traz inúmeros benefícios aos pesquisadores e está associada a um aumento de citações, atenção da mídia, potencial colaboração e oportunidades de financiamento e emprego. Read More →

Encontro Anual de 2016 do Council of Science Editors (CSE) destaca má conduta científica e disponibilização de dados da pesquisa

Encontro do Council of Science Editors (CSE) discute scientific misconduct e data sharing. Evento contou com a participação de editores e analistas de diversos periódicos internacionais. Especialistas debateram tendências em difusão de conhecimento por meio da disponibilização de dados e o papel da equipe editorial na prevenção e na gestão de práticas científicas inadequadas. Read More →

O melhor de dois mundos

Qualidade é um conceito mal definido em relação à literatura acadêmica. Alguns aspectos de qualidade podem ser razoavelmente e objetivamente avaliados, e imediatamente, tal como a qualidade da apresentação. Mas alguns não podem ser imediatamente determinados, e precisam de tempo e “digestão” pela comunidade acadêmica, tais como a qualidade científica de um artigo. E depois, existe a qualidade do serviço que um periódico presta aos autores, de particular importância para a publicação em acesso aberto, que é financiado por taxas de processamento de artigo (Article Processing Charges). Igualmente relevante é a questão se um forte foco na qualidade e excelência é realmente benéfico ou não para a ciência. Eu forneço um link para um artigo muito interessante sobre este tema. Read More →

Saiu no NY Times: Biólogos se rebelam e publicam diretamente na Internet

A conferência ASAP Bio ocorrida em fevereiro no Howard Hughes Medical Institute, nos EUA, reuniu pesquisadores da área de biomedicina para debater novas formas de comunicar resultados de pesquisa utilizando preprints e revisão por pares pós-publicação. Cientistas renomados, entre eles vários agraciados com o Nobel, passaram a depositar seus artigos em repositórios de preprints de acesso aberto antes de proceder com a publicação formal em periódicos. O tema mereceu na semana passada a atenção do jornal The New York Times. Read More →

Reprodutibilidade em resultados de pesquisa: os desafios da atribuição de confiabilidade

Recentemente projetos foram desenvolvidos com o objetivo de reproduzir resultados publicados de pesquisa nas áreas de psicologia, biologia e economia para verificar sua confiabilidade. Os resultados indicaram diferentes graus de reprodutibilidade em cada área, porém serviram para alertar a comunidade científica sobre o quão frágil podem ser resultados considerados irrefutáveis e refletir sobre o papel da ciência em se autocorrigir. Read More →

Sobre os riscos do SciHub e dos periódicos híbridos

Mudanças e desenvolvimentos na forma como as coisas são feitas às vezes são vistas como ameaças, como riscos. Esta é talvez uma reação natural, instintiva, porém, às vezes, o risco não está no próprio desenvolvimento, mas naquilo que o desenvolvimento em questão impede. Há dois desenvolvimentos em publicação e comunicação científica vistos por muitos como perigosos. Ambos são tidos como ameaçadores por lados opostos da cerca, por assim dizer. Read More →

Princípios reitores FAIR publicados em periódico do Nature Publishing Group

Os princípios FAIR fornecem em um alto nível de abstração um conjunto preciso e mensurável de qualidades para a publicação e reuso de dados de pesquisa científica – encontráveis, acessíveis, interoperáveis e reutilizáveis (do inglês FAIR – Findable, Accessible, Interoperable, and Reusable). Estes princípios abordam a demanda crescente de gestão rigorosa de dados aplicáveis, tanto aos usuários humanos quanto aos computacionais, que em breve se tornará uma atividade central nos projetos de pesquisa contemporâneos em ambientes de Ciência Aberta (Open Science). Read More →