Author: Jan Velterop

A ciência é fundamentalmente um empreendimento coletivo. Esta coletividade deve ser reconhecida mais explicitamente

Existe uma falta de conexão entre a natureza coletiva da ciência e a forma como os sistemas editorial e acadêmico de crédito e recompensa se concentram fortemente em realizações individuais. Isso resulta em problemas que afetam não só a ciência, mas a confiança da sociedade na ciência e, portanto, a sociedade como um todo. Read More →

Abertura é a única qualidade de um artigo científico que pode ser objetivamente aferida

A qualidade de um artigo de pesquisa científica é uma preocupação muito difundida no meio acadêmico. O proxy mais utilizado se baseia em contagens de citações, não do próprio artigo, mas da média dos artigos que aparecem no mesmo periódico durante um determinado intervalo de tempo. Isso é conhecido como o Fator de Impacto do periódico, que pode ser objetivo dentro de sua própria definição, mas é totalmente desprovido de objetividade em relação à qualidade científica de artigos individuais. Somente algumas qualidades técnicas dos artigos podem ser avaliadas no momento de sua publicação e, significativamente, sua abertura, o grau em que os resultados da pesquisa que descrevem, podem ser imediatamente e universalmente compartilhados. Read More →

Preprints – o caminho a seguir para o compartilhamento rápido e aberto do conhecimento

Preprints – versões de artigos científicos que ainda não foram formalmente revisados pelos pares antes da publicação – estão ganhando aceitação no mundo acadêmico. Eles oferecem acesso aberto, bem como publicação rápida, e seu sucesso por décadas na física tem estimulado a sua propagação em outras disciplinas. O desenvolvimento de preprints está ganhando terreno; importantes agências de financiamento estão apoiando preprints, e também o SciELO está planejando a criação de um repositório de preprints para autores da América Latina e o Sul Global em geral. Read More →

A Iniciativa de Budapeste em Acesso Aberto comemora seu 15° aniversário

A Iniciativa de Budapeste em Acesso Aberto (Budapest Open Access Initiative, BOAI) está completando o 15° aniversário de sua publicação em fevereiro de 2017. A medida que nos aproximamos deste marco, é importante parar para refletir sobre os valores, o impacto e a continuada relevância da BOAI. Estamos solicitando sua opinião. O feedback que você fornecer será usado para criar recomendações atualizadas para a comunidade de acesso aberto para ajudar a concentrar nossos esforços coletivos para manter o impulso em alcançar os objetivos da BOAI. Read More →

A crise de reprodutibilidade pode estar sendo agravada pela avaliação por pares pré-publicação?

A falta de escrutínio de artigos publicados em periódicos arbitrados, com base na crença de que a avaliação por pares pré-publicação fornece controle suficiente, poderia muito bem agregar um número relativamente elevado de artigos em que os resultados apresentados não podem ser replicados. Read More →

O melhor de dois mundos

Qualidade é um conceito mal definido em relação à literatura acadêmica. Alguns aspectos de qualidade podem ser razoavelmente e objetivamente avaliados, e imediatamente, tal como a qualidade da apresentação. Mas alguns não podem ser imediatamente determinados, e precisam de tempo e “digestão” pela comunidade acadêmica, tais como a qualidade científica de um artigo. E depois, existe a qualidade do serviço que um periódico presta aos autores, de particular importância para a publicação em acesso aberto, que é financiado por taxas de processamento de artigo (Article Processing Charges). Igualmente relevante é a questão se um forte foco na qualidade e excelência é realmente benéfico ou não para a ciência. Eu forneço um link para um artigo muito interessante sobre este tema. Read More →

Sobre os riscos do SciHub e dos periódicos híbridos

Mudanças e desenvolvimentos na forma como as coisas são feitas às vezes são vistas como ameaças, como riscos. Esta é talvez uma reação natural, instintiva, porém, às vezes, o risco não está no próprio desenvolvimento, mas naquilo que o desenvolvimento em questão impede. Há dois desenvolvimentos em publicação e comunicação científica vistos por muitos como perigosos. Ambos são tidos como ameaçadores por lados opostos da cerca, por assim dizer. Read More →

Seriam os periódicos ‘predatórios’ totalmente negativos, ou também um sinal de algo positivo?

Algo que geralmente, e justificadamente, é considerado negativo, pode, entretanto, também ser o prenúncio de um desenvolvimento positivo. O caso em questão é a existência dos chamados periódicos predatórios, os quais – inevitavelmente – emergiram em um ambiente no qual um verdadeiro mercado para serviços de publicação científica está lentamente tomando forma. Read More →

Abertura e a qualidade do artigo publicado

A abertura é um elemento científica e socialmente relevante da qualidade de um artigo publicado. Já é tempo de a abertura ser reconhecida como uma característica muito importante de um artigo de pesquisa e de aqueles que julgam os pesquisadores a partir de suas publicações (por exemplo, comissões de estabilidade e promoção na carreira) levarem isso em conta. Para o benefício da ciência e para o benefício da sociedade como um todo. Read More →

Ciência (que deve ser comunicada) em primeiro lugar, carreiras (que demandam seletividade) depois

Comunicação científica e progressão na carreira através de publicações em periódicos estão muito estreitamente interligadas, em detrimento da ciência. A seletividade dos periódicos diminui, dificulta, e distorce o processo de comunicação. Portanto, os processos de comunicação científica e avaliação de progressão na carreira devem ser separados. Tal como um efeito colateral bem-vindo, a publicação, particularmente a publicação em acesso aberto, pode ser muito mais barata do que é atualmente (e o dinheiro economizado pode ser usado na pesquisa). Read More →

O que está atrasando a transição ao acesso aberto se não custa mais?

A transição para o acesso aberto financiado pela Taxa de Processamento de Artigo (Article Processing Charge, APC) a partir de um sistema de assinatura está longe de ser simples, mesmo que o custo do sistema de acesso aberto seja o mesmo, ou até menor. Há sinais de esperança, entretanto, através de uma estratégia que pode ajudar a superar os obstáculos por meio de uma abordagem em larga escala, até mesmo a nível nacional, oposta a habitual, onde cada instituição tem que pesar os custos e benefícios. Read More →

A área cercada da ‘boa’ vizinhança da publicação de Jeffrey Beall

Jeffrey Beall, bibliotecário da Universidade de Colorado, descreve o SciELO como a ‘favela das publicações’ e as editoras comerciais como a ‘boa vizinhança das publicações acadêmicas’. A única maneira de entendermos isso é considerando suas atitudes anti-acesso aberto, anti-subvenções e anti-não-ocidentais, que são tão claramente visíveis em seus textos. É uma pena que um bibliotecário de uma universidade – exceto por este motivo – respeitável pense assim. Ele está errado, e isso tem de ser exposto. Read More →

Publicação Científica: A transição para o Acesso Aberto passa pela Holanda

As negociações entre as universidades holandesas (VSNU – Associação de Universidades Holandesas) e três grandes editoras (Springer, Wiley e SAGE) se encontram concluídas e foram feitos passos significativos para incluir o acesso aberto nas negociações com os editores. Com a Elsevier, no entanto, as negociações estão em um impasse, de acordo com o VSNU. Eles pediram um boicote, mas a verdadeira questão é, sem dúvida, porque a Elsevier, a maior editora acadêmica, além de ser holandesa (!), não pode fazer – ou não fará – o que outras grandes editoras podem – e farão. Não tenho resposta para isso, mas na tentativa de esboçar a situação com algum detalhe, espero poder acrescentar alguma clareza. O resultado das negociações certamente irá influenciar outros países. Read More →

Lidando com a sobrecarga de informação

A sobrecarga de informação é um dos principais obstáculos que pesquisadores enfrentam para capturar e internalizar o conhecimento que está sendo descoberto e criado pela ciência. O desafio é como desenvolver maneiras de criar sínteses do conhecimento publicado relacionado a áreas específicas de interesse. Apresenta-se a iniciativa Lazarus. Read More →

A Elsevier que você conhece não é a única Elsevier

O atual publisher científico Elsevier pode ter o mesmo nome que a reputada casa editorial que publicou o trabalho de grandes cientistas dos Séculos XXVI e XXVII, mas não há, de fato, nenhuma ligação histórica entre eles, exceto o nome. Read More →