Resumos de pesquisa em linguagem simples: algo para todos [Originalmente publicado no eLife]

Por Sarah Shailes

O que a Sociedade Britânica de Psicologia, o periódico Functional Ecology e um site de astronomia denominado Astrobites têm em comum? A resposta é que todos eles tentam explicar as descobertas de artigos científicos para uma ampla audiência publicando resumos dos artigos em linguagem simples. E não estão sozinhos: um número crescente de periódicos e organizações científicas estão tentando fazer o mesmo, e não apenas com artigos sobre temas que o público geralmente está interessado, como fósseis, capas de invisibilidade e novos tratamentos médicos. Estes resumos passam por uma miríade de nomes – incluindo resumos para leigos, resumos de autores, declarações de significado e sumários – e podem abranger temas tão diversos como a descoberta da água em um planeta distante e os estilos de vida das bactérias. Para saber mais sobre este fenômeno, contatamos dez periódicos e outras organizações que, reunidos, produzem cerca de 5.400 resumos em linguagem simples por ano (Tabela 1).

Tabela 1. Uma seleção de periódicos, sociedades científicas e outras organizações que produzem resumos em linguagem simples de pesquisa científica.

Organização

Tipo

Nome do resumo em linguagem
simples

Tamanho do texto

Quantidade de imagens

Quantidade publicada por mês/ano

American Astronomy Society (aasnova.org)

Sociedade Científica

Destaques

350–500 palavras

1 imagem + 1-3 figuras do artigo

~12/mês

Resumos de Periódicos

Uma frase

Nenhuma

~20/mês

Annals of the Rheumatic Diseases (promotions.bmj.com/ard summaries/)

Periódico

Resumos de pacientes

500–1.000 palavras

Nenhuma atualmente

~3/mês

Astrobites (astrobites.org)

Organização de estudantes

Não disponível

600–800 palavras

1-2

~20/mês

Autism (journals.sagepub.com/ home/aut)

Periódico

Resumos para leigos

250 palavras no
máximo

Nenhuma

~80/ano

British Psychological Society (digest.bps.org.uk)

Sociedade Científica

Não disponível

Variável, geralmente ao redor de 500-700 palavras

1

~20/mês

Cochrane (cochranelibrary.com)

Rede de pesquisadores

Resumos em linguagem simples

400–700 palavras

Geralmente nenhuma

Variável; publicaram 485 em 2014

eLife (elifesciences.org)

Periódico

Resumos de
eLife

200–400 palavras

Nenhuma

50–60/mês

Frontiers for Young Minds (kids.frontiersin.org)

Periódico

Não disponível

2.000 palavras no máximo.

Variável

Variável; publicaram mais de 100 artigos desde o lançamento, em 2013

Functional Ecology (functionalecology.org)

Periódico

Resumos para leigos

250–350 palavras

1 fotografia

~160 artigos em 2016

PLoS Medicine (journals.plos.org/plos medicine/)

Periódico

Resumos de autor

6-9 frases simples em forma de itens

Nenhuma

14/mês

Proceedings of the National Academy of Sciences (pnas.org)

Periódico

Depoimentos significativos

~120 palavras

Nenhuma

~3000/ano

 

Quem lê os resumos em linguagem simples?

Quando a Sociedade Britânica de Psicologia (British Psychological Society, BPS) iniciou seu boletim eletrônico Research Digest em 2003, seu objetivo era resumir a nova pesquisa em psicologia para estudantes de 16-18 anos de idade. “No entanto, rapidamente percebemos que estávamos alcançando um público muito maior”, diz seu editor, Christian Jarrett. “Há muitos anos estamos escrevendo para o público em geral, bem como estudantes, pesquisadores e jornalistas”.

Algo semelhante aconteceu no Astrobites, um site que publica resumos em linguagem simples de artigos sobre astrofísica no servidor de preprints arXiv. Inicialmente o site era dirigido principalmente a alunos de graduação em astrofísica, mas, novamente, atraiu outros leitores. “Nossa audiência é composta por partes iguais de graduandos, estudantes de pós-graduação, pesquisadores profissionais e membros interessados do público em geral” afirma Nathan Sanders, que ajudou a lançar o site em 2010, quando era estudante de pós-graduação na Universidade Harvard. (Sanders, 20131).

Outra autora do Astrobites, Susanna Kohler, foi adiante e criou a AAS Nova para a Sociedade Astronômica Americana (American Astronomical Society, AAS) em 2015. O site tem como objetivo destacar a pesquisa publicada nos periódicos da sociedade e “fornecer aos pesquisadores em astrofísica e entusiastas acesso a um fluxo selecionado e resumido de conteúdo atual sobre pesquisa em astrofísica”. As duas iniciativas estabeleceram uma parceria com alguns resumos do Astrobites, aparecendo em AAS Nova e AAS, que, por sua vez, ajudam a financiar o Astrobites.

Resumos em linguagem simples podem ajudar os periódicos nas ciências biomédicas a alcançar pacientes e outros que possam se beneficiar da pesquisa. O periódico Autism tem publicado resumos para Leigos desde 2011. A editora de mídia social do periódico, Laura Crane, supervisiona os resumos. “O público-alvo é o público em geral, mas particularmente a comunidade de autistas – indivíduos no espectro do autismo, suas famílias e as pessoas que trabalham com eles”, diz Crane, que também é pesquisadora da Goldsmiths, Universidade de Londres.

Um grande desafio ao escrever para um público amplo é como sintonizar a linguagem, conteúdo e estilo do texto para ser ao mesmo tempo informativo e atraente para pessoas com diferentes níveis de educação científica. Muitos periódicos e organizações contam com editores internos para verificar se seus resumos em linguagem simples são adequados ao público-alvo pretendido, mas alguns vão um passo além ao incluir membros do público alvo no processo de verificação. Na iniciativa Frontiers for Young Minds (que produz artigos voltados para crianças e adolescentes), todos os artigos são revisados ​​por duas pessoas – um jovem cientista e um pesquisador em atividade (Quadro 1).

Frontiers for Young Minds é um periódico que comissiona cientistas para escrever sobre a sua pesquisa dirigida leitores entre 8 e 15 anos de idade. Os autores têm até 2.000 palavras para traduzir seu trabalho “em termos acessíveis para crianças e adolescentes”. Um jovem cientista e um cientista em atividade trabalham em conjunto para revisar o artigo e fornecer feedback aos autores. O artigo revisado é então verificado por um editor associado, que é um pesquisador experiente: se este editor aprovar o artigo, o envia para publicação. Desde o lançamento em 2013, o periódico publicou mais de 100 artigos. Frontiers for Young Minds inverte o processo científico fazendo com que as crianças revisem as publicações científicas e, como resultado, fornece uma excelente ferramenta para que os cientistas se tornem melhores comunicadores,” afirma Emma Clayton da Frontiers.

Quadro 1. Abrindo a ciência para as crianças

O Annals of the Rheumatic Diseases tem produzido resumos de pacientes de artigos de pesquisa selecionados desde 2013. “Os resumos passam por várias rodadas de aprovação pela organização de pacientes PARE [People with Arthritis and Rheumatism] e o Editor-chefe”, diz o editor do periódico Frances Lee. Embora este nível de verificação contribua para tornar os resumos mais acessíveis aos pacientes, pode atrasar sua publicação por vários meses após a publicação do trabalho de pesquisa.

A rede Cochrane de pesquisadores médicos vem incluindo resumos em linguagem simples em suas revisões da literatura médica desde 1997. Seu objetivo é “resumir a revisão em um estilo simples que possa ser compreendido pelos consumidores de cuidados de saúde”, diz Nancy Owens, Gerente Sênior de Comunicação da Cochrane. Embora os autores recebam diretrizes para ajudá-los a escrever o resumo de sua revisão, um estudo recente descobriu que nenhum dos resumos em linguagem simples publicados pela Cochrane durante um período de 23 meses aderiu totalmente a estas diretrizes (Jelicic Kadic, et al., 20162). Owens diz que a Cochrane está atualmente envolvida em um projeto para “melhorar e padronizar o conteúdo, apresentação e legibilidade de resumos em linguagem simples para facilitar a leitura, o uso e a tradução a outros idiomas”.

Alguns periódicos e sociedades produzem resumos principalmente para cientistas que trabalham em outros campos de pesquisa. Desde outubro de 2012, todos os artigos de pesquisa publicados no periódico Proceedings of the National Academy of Science (PNAS) – que abrange as ciências biológicas, físicas e sociais – incluíram uma Declaração de Significado para explicar a relevância do trabalho aos leitores do periódico, ao contrário do leitor geral (Verma, 20123).

E no ano passado, a Nature solicitou aos autores de 11 artigos do periódico escrever resumos de seus trabalhos de pesquisa. Mais uma vez, estes resumos – que se estendiam a duas páginas A4 em pdf – eram dirigidos principalmente a outros pesquisadores e não ao público: “Os resumos continuam técnicos”, explicou um editorial no periódico, “estes não são artigos adequados para a imprensa popular” (Nature, 20164). “Ainda estamos buscando feedback deste ensaio”, comenta Alice Henchley, diretora de comunicação de Nature Research, “mas é claro que os resumos foram bem recebidos.”

Quem deveria escrever os resumos?

A maioria dos periódicos publicados pela Public Library of Science (PLoS) – incluindo PLoS Biology, PLoS Genetics e PLoS Medicine – incluem resumos em linguagem simples em todos os seus artigos de pesquisa. Quando PLoS Medicine foi lançada em 2004, empregava escritores independentes para preparar estes resumos para os artigos. No ano passado, no entanto, a periódico mudou sua abordagem e começou a solicitar aos autores elaborar seus próprios resumos. O editor-chefe Larry Peiperl explica: “Nós pensamos que seria um processo mais eficiente – o autor rascunha, o editor edita e o autor aprova, o que é melhor que, no exemplo o mais extenso, o escritor independente rascunha, o editor checa, o autor revisa e edita, o editor aprova ou ainda revisa – e melhor emprego dos recursos.” O periódico inicialmente estava preocupado sobre como os autores responderiam à nova abordagem, mas a mudança parece ter sido aceita. “A transição foi notadamente suave”, diz Peiperl. “Os autores parecem bastante dispostos, e de maneira geral, estamos felizes com a qualidade e clareza de seus resumos.”

Como PLoS Medicine, muitos outros periódicos – incluindo Autism e Functional Ecology – também solicitam aos autores de artigos de pesquisa que escrevam seus próprios resumos em linguagem simples. Consciente de que os autores podem não ter muita experiência em escrever para um público amplo, os periódicos verificam e, se necessário, editam os resumos antes da publicação.

Alguns periódicos e outras organizações empregam escritores para produzir resumos em linguagem simples. Para ajudar seus escritores, os periódicos Annals of the Rheumatic Diseases e eLife pedem aos autores de artigos de pesquisa para responder a um conjunto de perguntas sobre o seu trabalho em linguagem simples. No eLife, descobrimos que envolver os autores originais desta maneira pode economizar tempo mais tarde, pois eles tendem a fazer menos mudanças quando checam o rascunho do resumo.

Quando seria um bom momento para pedir aos autores elaborar um resumo? O PNAS exige que os autores incluam uma Declaração de Significado logo quando eles submetem um artigo. No entanto, se o artigo for rejeitado e eventualmente publicado sem a declaração em outro periódico, os esforços dos autores terão sido desperdiçados. O periódico Autism evita este problema, pedindo aos autores para produzir um Resumo para Leigos tão logo o artigo seja aceito para publicação. Functional Ecology e PLoS Medicine, por outro lado, solicitam aos autores que elaborem um resumo em linguagem simples quando estão revisando o artigo após a avaliação por pares: isso dá ao periódico e aos autores tempo para verificar e revisar o resumo antes da publicação do artigo.

O Astrobites emprega um modelo diferente para escrever seus resumos. “Todos os nossos autores são atualmente estudantes de pós-graduação em astronomia em universidades em todo o mundo que se voluntariam”, diz Nathan Sanders. “Temos uma ‘rotação regular’ de cerca de 20 autores de cada vez, para que cada autor escreva um post por mês.” Eles usam um ‘modelo de autoria colaborativa’ em que cada autor também atua como editor de conteúdo para outro estudante na colaboração e como editor de estilo para outra pessoa. Desta forma, o Astrobites é capaz de coordenar os esforços de uma equipe de voluntários para produzir um fluxo regular de conteúdo.

Seu modelo de autoria colaborativa tem se mostrado popular em outras disciplinas e o Astrobites tem agora sites similares que abrangem oceanografia (oceanbites.org), física de partículas (particlebites.com) e astronomia em espanhol (astrobitos.org). Também está relançando um site dedicado a química (chembites.org). Juntamente com seus resumos de pesquisa, o Astrobites também publica conteúdo sobre carreiras e outras questões. Em 2013, para ajudar os jovens cientistas a desenvolver suas habilidades de comunicação científica, alguns dos autores do Astrobites e Chembites também fundaram a ComSciCon, que organiza workshops dirigidos a estudantes de pós-graduação nos EUA.

O Astrobites e seus sites similares não são os únicos a fornecer aos pesquisadores oportunidades de escrever resumos em linguagem simples para pesquisas realizadas por outros cientistas. Annals of Botany, The Node e várias outras organizações também publicam resumos em linguagem simples escritos por voluntários, geralmente sob a forma de posts de blog.

Onde encontrá-los?

Diferentes organizações também exibem seus resumos em linguagem simples de diferentes maneiras. Alguns periódicos – incluindo PLoS Medicine, PNAS e eLife – exibem o resumo no artigo de pesquisa original. Embora isso possa ser conveniente para os cientistas e outros leitores que desejam obter uma visão geral do artigo antes de ler mais, isso poderia impedir muitos não-cientistas a ter acesso ao artigo, acima de tudo.

O Functional Ecology – que publica resumos em linguagem simples para todos os artigos de pesquisa desde 2011 – soluciona este problema apresentando os resumos como artigos separados acompanhados por imagens de interesse visual. Os resumos de artigos recentes são destacados na homepage do periódico como notícias. Esta abordagem também permite que o Functional Ecology disponibilize livremente todos os resumos em linguagem simples, embora muitos dos artigos de pesquisa relacionados não sejam de acesso aberto. O Annals of the Rheumatic Diseases vai além, exibindo seus resumos de pacientes em uma seção dedicada de seu site: esta seção tem uma interface de busca separada que permite aos pacientes e outros membros do público pesquisar nos resumos usando palavras-chave.

Outra maneira de tornar os resumos em linguagem simples mais fáceis de encontrar é exibi-los em mais de um lugar. Após o sucesso do boletim informativo Research Digest, o BPS lançou seu blog em 2005 “como uma maneira de dar ao Digest mais um estilo de revista com imagens e a chance de os leitores comentarem”, diz Christian Jarrett. Juntamente com o boletim informativo e blog, o BPS desenvolveu no ano passado um aplicativo para ajudar os leitores a encontrar e gerenciar conteúdo do Research Digest com mais facilidade.

Ao pesquisar para escrever este artigo, compilamos uma lista de 50 periódicos que produzem resumos em linguagem simples, com adições recentes à lista, incluindo JGR: Planets (Hansen, 20165) e Evolution (Noor, 20176). (A lista completa está disponível neste blogpost7). Estes periódicos e outras organizações científicas estão adotando uma variedade de abordagens para escrever e exibir seus resumos, com diferentes públicos-alvo em mente. Esta diversidade deve significar que haverá algo lá fora para todos os interessados em ciência, independentemente da sua formação científica, desde que saibam onde procurar.

Notas

1. SANDERS, N. Astrobites: Students Making Astrophysics Accessible [online]. Scientific American Blog Network. 2013 [viewed 29 March 2017]. Available from: http://blogs.scientificamerican.com/incubator/astrobites-students-making-astrophysics-accessible/

2. JELICIC KADIC, A., et al. Cochrane plain language summaries are highly heterogeneous with low adherence to the standards. BMC Medical Research Methodology [online]. 2016, vol. 16, no. 61 [viewed 29 March 2017]. DOI: 10.1186/s12874-016-0162-y. Available from: https://bmcmedresmethodol.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12874-016-0162-y

3. VERMA, I. M. PNAS Plus: Refining a successful experiment. PNAS [online]. 2012, vol. 109, no. 34 [viewed 29 March 2017]. DOI: 10.1073/pnas.1212313109. Available from: http://www.pnas.org/content/109/34/13469

4. Nature distilled. Nature [online]. 2016, vol. 534, no. 7607, pp. 296 [viewed 29 March 2017]. DOI: 10.1038/534296b. Available from: http://www.nature.com/news/nature-distilled-1.20084

5. HANSON, B. AGU Journals: More Content and More Context [online]. Eos. 2016 [viewed 29 March 2017]. DOI: 10.1029/2016EO057345. Available from: http://eos.org/agu-news/agu-journals-more-content-and-more-context

6. NOOR, M. A. F. The (R)Evolution is here! Evolution [online]. 2017, vol. 71, no. 1, pp. 4-5 [viewed 29 March 2017]. DOI: 10.1111/evo.13131. Available from: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/evo.13131/abstract;jsessionid=C356528E0AF602C3A266627E06071FBF.f02t03

7. Plain-language summaries: Journals and other organizations that produce plain-language summaries [online]. eLife. 2017 [viewed 29 March 2017]. Available from: http://elifesciences.org/elife-news/plain-language-summaries-list-of-journals

Referências

HANSON, B. AGU Journals: More Content and More Context [online]. Eos. 2016 [viewed 29 March 2017]. DOI: 10.1029/2016EO057345. Available from: http://eos.org/agu-news/agu-journals-more-content-and-more-context

JELICIC KADIC, A., et al. Cochrane plain language summaries are highly heterogeneous with low adherence to the standards. BMC Medical Research Methodology [online]. 2016, vol. 16, no. 61 [viewed 29 March 2017]. DOI: 10.1186/s12874-016-0162-y. Available from: https://bmcmedresmethodol.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12874-016-0162-y

Nature distilled. Nature [online]. 2016, vol. 534, no. 7607, pp. 296 [viewed 29 March 2017]. DOI: 10.1038/534296b. Available from: http://www.nature.com/news/nature-distilled-1.20084

NOOR, M. A. F. The (R)Evolution is here! Evolution [online]. 2017, vol. 71, no. 1, pp. 4-5 [viewed 29 March 2017]. DOI: 10.1111/evo.13131. Available from: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/evo.13131/abstract;jsessionid=C356528E0AF602C3A266627E06071FBF.f02t03

Plain-language summaries: Journals and other organizations that produce plain-language summaries [online]. eLife. 2017 [viewed 29 March 2017]. Available from: http://elifesciences.org/elife-news/plain-language-summaries-list-of-journals

SANDERS, N. Astrobites: Students Making Astrophysics Accessible [online]. Scientific American Blog Network. 2013 [viewed 29 March 2017]. Available from: http://blogs.scientificamerican.com/incubator/astrobites-students-making-astrophysics-accessible/

VERMA, I. M. PNAS Plus: Refining a successful experiment. PNAS [online]. 2012, vol. 109, no. 34 [viewed 29 March 2017]. DOI: 10.1073/pnas.1212313109. Available from: http://www.pnas.org/content/109/34/13469

Links Externos

American Astronomy Society – <http://aasnova.org/>

Annals of the Rheumatic Diseases – <http://promotions.bmj.com/>

Astrobites – <http://astrobites.org/>

Autism – <http://journals.sagepub.com/>

Botany – <http://aobblog.com/>

British Psychological Society – <http://digest.bps.org.uk/>

Chembites – <http://chembites.org>

Cochrane – <http://www.cochranelibrary.com/>

ComSciCon – <http://comscicon.com/>

eLife – <http://elifesciences.org/>

Frontiers for Young Minds – <http://kids.frontiersin.org/>

Functional Ecology – <http://www.functionalecology.org/>

Oceanbites – <http://oceanbites.org/>

Particlebites – <http://particlebites.com/>

PLoS Medicine – <http://journals.plos.org/plosmedicine/>

Proceedings of the National Academy of Sciences – <http://www.pnas.org/>

The Node – <http://thenode.biologists.com/>

Leia o post original:

SHAILES, S. Plain-language summaries of research: Something for everyone. eLife [online]. 2017, 6:e25411 [viewed 29 March 2017]. DOI: 10.7554/eLife.25411. Available from: http://elifesciences.org/content/6/e25411

 

Traduzido do original em inglês por Lilian Nassi-Calò.

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

Resumos de pesquisa em linguagem simples: algo para todos [Originalmente publicado no eLife] [online]. SciELO em Perspectiva, 2017 [viewed ]. Available from: http://blog.scielo.org/blog/2017/04/18/resumos-de-pesquisa-em-linguagem-simples-algo-para-todos-originalmente-publicado-no-elife/

 

2 Thoughts on “Resumos de pesquisa em linguagem simples: algo para todos [Originalmente publicado no eLife]

  1. Pingback: Boletim de Notícias, 19/abr: Demissão no MMA; Justiça barra licença na Serra do Mar | Direto da Ciência

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation