Agenda de discussão sobre o desenvolvimento futuro da Rede SciELO

Por Abel L. Packer

Programa da Conferência SciELO 15 Anos

Programa da Conferência SciELO 15 Anos

A Rede SciELO realizou no dia 13 de agosto de 2013 a primeira de uma série de reuniões online preparatórias da reunião presencial sobre o desenvolvimento futuro do SciELO que ocorrerá no dia 22 de outubro próximo, por ocasião da Conferência SciELO 15 Anos. Participaram da reunião inaugural representantes de todas as coordenações das coleções SciELO dos países ibero-americanos. Uma reunião separada, no idioma inglês, será realizada também com a coleção SciELO África do Sul.

O objetivo das reuniões preparatórias é definir de comum acordo a agenda de trabalho e os documentos básicos que apoiarão as análises, os debates e as decisões sobre as linhas prioritárias de ação que nortearão o desenvolvimento e operação futura do SciELO.

rede-scielo_ptAntecedentes

A Rede SciELO alcançou importantes resultados ao completar 15 anos de sua operação regular em 2013. O objetivo geral do SciELO é contribuir para o progresso da investigação científica por meio do melhoramento da comunicação dos resultados em periódicos nacionais de qualidade. Os periódicos nacionais cumprem uma função importante, pois complementam os periódicos internacionais na comunicação da investigação nacional. O objetivo específico do SciELO é aumentar de forma sustentável a visibilidade, a qualidade, o uso e o impacto dos periódicos que indexa. Portanto, contribui para o desenvolvimento das capacidades, infraestruturas nacionais de informação e comunicação científica. As principais funções do SciELO são a indexação de periódicos científicos com base em controles de qualidade, a publicação online de textos completos em acesso aberto, a medida de desempenho com base em downloads e citações e a interoperabilidade na web com índices, produtos e serviços de indexação de conteúdos científicos.

Em 2013, a Rede SciELO de coleções nacionais de periódicos estende-se para 16 países, 15 da Ibero América e África do Sul, que em conjunto indexam cerca de 1.000 periódicos, os quais publicam atualmente mais de  40 mil artigos por ano. No total, a Rede tem acumulado em seus 15 anos mais de 400 mil artigos, atendendo em 2012 uma média diária de mais de 1,5 milhão de acessos e downloads.

As coleções SciELO, em conjunto, ocupam o primeiro lugar no ranking de portais de acesso aberto do Webometrics e têm um excelente desempenho individual. Em conjunto, as coleções SciELO são as primeiras fontes de periódicos indexadas no Directory of Open Access Journals (DOAJ).

Os metadados dos artigos dos periódicos SciELO com links para todos os textos completos são atualizados semanalmente em índices como Google Scholar, CROSSREF, DOAJ, e quando se aplica, também são enviados aos principais índices bibliográficos internacionais e regionais, como Web of Science, Scopus, PubMed, LILACS, etc. A partir de outubro de 2013, todas as coleções SciELO certificadas integrarão o SciELO Citation Index, operando no Web of Knowledge em conjunto com o WoS e outras bases de dados internacionais, tanto para buscas como para contagem de citações recebidas.

A Rede SciELO representa também um dos principais programas de comunicação científica dos países em desenvolvimento. Destaca-se ainda por ser um dos principais programas de cooperação internacional na publicação de periódicos científicos em acesso aberto.

Não obstante aos avanços, a Rede SciELO enfrenta dois grandes desafios em seu desenvolvimento futuro. O primeiro deles é melhorar o desempenho de gestão e operação das coleções nacionais em que se refere ao desenvolvimento das coleções segundo os critérios de qualidade SciELO, como, por exemplo, a existência de um comitê científico representativo da comunidade científica nacional que será responsável por avaliar a inclusão e a permanência dos periódicos na coleção, o processamento e a pontualidade na publicação de novos números dos periódicos, a adoção oportuna das atualizações das metodologias e tecnologias de publicação, a publicação avançada dos artigos previamente à montagem dos números de modo a promover a publicação contínua dos artigos, o processamento online de manuscritos, o desenvolvimento de planos de disseminação e marketing, etc. O segundo desafio é melhorar o desempenho dos periódicos da Rede SciELO que é baixo quando comparado aos periódicos dos países desenvolvidos com base nos indicadores bibliométricos de citações nos índices de referência internacional, como o Journal Citation Reports (JCR), calculados a partir do Web of Science e o Scimago Journal Ranking a partir do Scopus. Na verdade, cerca de 90% dos periódicos SciELO no JCR y Scimago têm fator de impacto abaixo da média em suas  respectivas áreas temáticas.

Muitos fatores estruturais e específicos influenciam o baixo desempenho de algumas coleções e de uma boa parte dos periódicos. A gestão e a operação das coleções nacionais são afetadas pelo grau de apoio político e financeiro que recebem, pela capacidade disponível de recursos humanos, infraestrutura operacional e pelo desempenho geral dos periódicos. O desempenho dos periódicos é dependente da qualidade e relevância internacional das pesquisas que publicam, da porcentagem de textos nos idiomas espanhol ou português, assim como da predominância de artigos de pesquisadores nacionais e baixa porcentagem de artigos com colaboração internacional. Em geral, os periódicos científicos, em sua grande maioria, continuam operando os processos editoriais com baixo grau de profissionalismo, inserção internacional e com modelos de financiamento com baixa estabilidade.

O Programa SciELO / FAPESP — as coleções e os periódicos da Rede SciELO, individual ou em conjunto — vem desenvolvendo nos últimos anos esforços no sentido de avançar e aprofundar  o profissionalismo , a internacionalização e a sustentabilidade financeira dos periódicos SciELO, das coleções e da Rede como um todo. Nesse sentido, CONICYT Chile organizou uma reunião nos dias  25 a 27 de junho passado com a participação de Margarita Ontiveros de CONACYT México, Patricia Muñoz de CONICYT Chile e Abel Packer da Coordenação do Programa SciELO, com o objetivo de elaborar uma proposta preliminar de linhas de ação para apoiar as discussões da Rede SciELO. A proposta aponta para o estabelecimento de uma plataforma SciELO, de serviços comuns que atendam a todos os processos de edição, publicação, indexação e interoperabilidade disponíveis para os periódicos SciELO e considera  também o estabelecimento de um programa de capacitação para editores, avaliadores e autores; um programa de disseminação e marketing e de fortalecimento de alianças com instituições e sistemas internacionais de comunicação científica.

Agenda da Reunião da Rede SciELO

A agenda de trabalho da reunião da Rede está pautada na definição de linhas prioritárias de ação para profissionalização, internacionalização e sustentabilidade dos periódicos, coleções e Rede SciELO, compreendendo os seguintes aspectos: avaliação de desempenho da Rede SciELO ao cumprir 15 anos, o estado de desenvolvimento da  plataforma SciELO de indexação, publicação e interoperabilidade, a colaboração das bibliotecas, a gestão dos periódicos e da plataforma SciELO e as linhas prioritárias de ação para o desenvolvimento futuro do SciELO.

A avaliação de desempenho da Rede SciELO será realizada por meio de quatro abordagens: primeiro, uma autoanalise de desempenho das coleções nacionais realizada pelas respectivas coordenações, utilizando a metodologia estruturada de identificação de fortalezas, debilidades, oportunidades e ameaças que afetam o desenvolvimento e a operação das coleções nacionais; segundo, uma análise do tipo webometrics do desempenho das coleções SciELO de modo a medir a presença na Web de cada uma das coleções; terceiro, uma análise do tipo bibliométrico com o objetivo de medir o desempenho médio dos periódicos e das coleções nacionais; e, quarto, a análise da avaliação de desempenho da coleção SciELO Chile.

A análise do estado de desenvolvimento da plataforma SciELO e os avanços previstos serão apresentados de acordo com as etapas do fluxo de produção dos periódicos científicos, incluindo: (a) controle de qualidade da indexação, compreendendo a avaliação para o ingresso de novos periódicos e para a permanência dos periódicos já indexados; (b) a gestão online de manuscritos por meio de sistemas e serviços certificados pelo SciELO, segundo critérios de operação; (c) a edição de textos, incluindo a tradução; (d) a preparação de textos completos em formatos: XML, HTML, PDF e ePUB; (e) a interoperabilidade com os principais índices e sistemas; (f) a nova interface Web e para celulares; (g) a nova plataforma tecnológica de operação das coleções SciELO; e (h) o programa de capacitação de editores, avaliadores e autores.

As bibliotecas universitárias e de centros de investigação desempenham um papel importante de intermediação e capacitação nos processos de acesso, publicação e avaliação de informação científica junto aos pesquisadores, professores, editores e estudantes. O fortalecimento e a ampliação da visibilidade e uso das coleções SciELO terão mais sucesso com a participação ativa dos sistemas universitários de bibliotecas, das bibliotecas especializadas e dos bibliotecários com as comunidades de ensino e investigação. Ao mesmo tempo, as bibliotecas cumprem o papel essencial de apoio a edição, publicação, disseminação e indexação dos periódicos das universidades e centros de pesquisa. Esse painel analisará linhas de ação para ampliar a contribuição das bibliotecas no desenvolvimento futuro dos periódicos científicos da Rede SciELO.

O desenvolvimento da plataforma comum de serviços SciELO para a edição e publicação abre uma oportunidade única para grande parte dos periódicos racionalizarem as atividades e os processos de produção e concentração das atividades editoriais de avaliação de manuscritos e de disseminação do periódico.  A perspectiva é de que a plataforma SciELO ofereça serviços de acordo com o estado da arte internacional a custos aceitáveis. Entretanto, a adoção de uma plataforma comum representa mudanças e desafios para os publicadores e editores dos periódicos que em sua maioria têm operado tradicionalmente na produção de forma independente, seja com soluções próprias o contratadas. Esse painel analisará diferentes demandas e preocupações dos editores com relação à adoção de serviços comuns que serão operados ou intermediados pelas coleções SciELO.

Finalmente, a agenda convergirá para a definição conjunta das linhas de ação que devem orientar o desenvolvimento e operação da Rede SciELO nos próximos anos. Tal definição deverá ocorrer até o dia 10 de outubro próximo, de modo que, durante a reunião presencial da Rede em 22 de outubro, os representantes das coordenações nacionais se dedicarão a ajustes finais e aprovação das linhas de ação.

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

PACKER, A. Agenda de discussão sobre o desenvolvimento futuro da Rede SciELO [online]. SciELO em Perspectiva, 2013 [viewed ]. Available from: http://blog.scielo.org/blog/2013/08/19/agenda-de-discussao-sobre-o-desenvolvimento-futuro-da-rede-scielo/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation